Bolsonaro se reúne com deputados para discutir possível retorno ao PSL

Foram chamados para a conversa os deputados bolsonaristas que são filiados ao PSL, mas estão suspensos das funções partidárias pela cúpula da sigla

Por Igor Gadelha, CNN  
26 de agosto de 2020 às 08:45 | Atualizado 26 de agosto de 2020 às 09:18

O presidente Jair Bolsonaro convocou deputados federais bolsonaristas para uma reunião nesta quarta-feira (26), no Palácio da Alvorada, para discutir o futuro partidário do grupo. Segundo parlamentares ouvidos pela CNN, a principal tendência atualmente é voltar para o PSL.

O encontro ocorrerá após o presidente retornar da viagem oficial à Minas Gerais. A reunião não constava na agenda oficial de Bolsonaro até a manhã desta quarta-feira, mas foi confirmada à coluna por quatro parlamentares bolsonaristas que foram convidados.

Foram chamados para a conversa os deputados bolsonaristas que são filiados ao PSL, mas estão suspensos das funções partidárias pela cúpula da sigla. Antes do encontro, esses parlamentares devem se reunir individualmente com o líder da legenda na Câmara, Felipe Francischini (PR).

Leia também:
O retorno de Bolsonaro ao PSL e a estratégia para a reeleição
Bolsonaro e Maia se reúnem no Palácio da Alvorada para discutir pauta econômica
Bolsonaro está ‘99%’ decidido a voltar ao PSL

Como a CNN noticiou ainda em 14 de agosto, o presidente e deputados aliados estão com conversas avançadas com a cúpula do PSL para voltarem à legenda. Para concretizarem o retorno à sigla, faltaria apenas a negociação dos termos do acordo.

O presidente Jair Bolsonaro
Foto: Adriano Machado/Reuters (5.ago.2020)

A negociação prevê que, de um lado, os bolsonaristas deverão desistir do Aliança pelo Brasil, partido que tentam criar, e das ações na Justiça contra a atual direção do PSL. Do outro, a direção da legenda revogará a suspensão de deputados federais.

Esses parlamentares federais voltariam a ser filiados ao PSL normalmente, com todos os direitos e deveres partidários. Bolsonaro, porém, só deve se filiar de volta ao partido em dezembro, porque não quer participar das eleições municipais.