‘Momento para Guedes é tenso, mas não é definitivo’, diz líder do governo

Segundo ele, por ter emprestado seu nome para dar credibilidade a Bolsonaro durante a campanha, ministro tem capacidade maior de se entender com presidente

Por Igor Gadelha, CNN  
27 de agosto de 2020 às 11:52 | Atualizado 27 de agosto de 2020 às 12:27

O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), admitiu nesta quinta-feira (27) que a situação do ministro Paulo Guedes é delicada, mas ponderou que o chefe da equipe econômica tem grande capacidade de entendimento com o presidente Jair Bolsonaro.

“O momento é tenso, mas não é definitivo”, afirmou Gomes à CNN. Segundo ele, por ter emprestado seu nome para dar credibilidade a Bolsonaro durante a campanha, o titular da Economia tem uma capacidade maior de se entender com o presidente do que os demais ministros.

Leia mais:
'Acho que não tem desgaste', diz Mourão sobre Guedes e Bolsonaro

O ministro da Economia, Paulo Guedes
Foto: Alan Santos/PR

“O Guedes foi ministro antes do governo ser eleito”, afirmou o senador. Ele lembra ainda que o chefe da equipe econômica tem demonstrado flexibilidade para se adaptar ao “novo momento do governo”, quando mais gastos serão necessários em razão da pandemia.

Nas últimas semanas, Guedes vem travando uma disputa com a ala desenvolvimentista do governo, que tenta convencer Bolsonaro a aumentar as despesas públicas para bancar mais obras e a reformulação de programas sociais, entre eles, o Renda Brasil, substituto do Bolsa Família.

A fritura contra o ministro da Economia aumentou nesta quarta-feira (26), quando o próprio presidente criticou a proposta de Guedes de acabar com o abono salarial para bancar o Renda Brasil. “Não posso tirar dos pobres para dar para os paupérrimos”, argumentou Bolsonaro.