Políticos do Rio temem risco de intervenção federal no estado

Deputados acreditam que afastamento de Witzel pode levar a participação mais ativa do grupo do presidente Jair Bolsonaro na política fluminense

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
28 de agosto de 2020 às 09:50 | Atualizado 28 de agosto de 2020 às 10:13

A combinação de crises no Rio de Janeiro faz políticos do estado temerem uma intervenção federal no estado ou um tipo de "influência branca", que seria a participação mais ativa do grupo do presidente Jair Bolsonaro na política fluminense.

A avaliação foi feita por deputados federais do Rio, nesta manhã, à CNN, enquanto o estado amanhecia novamente como palco de uma operação do Ministério Público Federal, da Polícia Federal e Receita Federal.

Leia mais:
STJ afasta Wilson Witzel do governo do RJ e manda prender Pastor Everaldo
Quem é Pastor Everaldo, preso em operação sobre fraude de contratos no Rio
Para afastar Witzel, MP citou prática de crimes e risco para investigações no RJ

Movimentação no Palácio Laranjeiras, casa oficial do governador do Rio de Janeir
Movimentação no Palácio Laranjeiras, casa oficial do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel
Foto: CNN (28.ago.2020)

A operação afastou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, mas também embaralhou o processo de impeachment contra ele mesmo, o que coloca o estado em um limbo ao mirar outros nomes da linha sucessória de poder do estado, quem poderia substituir Witzel. 

O vice de Witzel, Cláudio Castro, e o presidente da Assembleia do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT), foram alvos de busca e apreensão. Em outras palavras, assim como o governador, a principal opção a ele e o principal opositor dele são alvos da mesma investigação, ainda que com pesos diferentes.

Castro conta com a simpatia de deputados na Alerj, interessados na divisão de poder no Rio, com o afastamento de Witzel.

Os próximos passos da investigação vão ser decisivos para a política fluminense.