Witzel está ‘morto politicamente’, avaliam ministros e cúpula do Congresso


Igor Gadelha
Por Igor Gadelha, CNN  
04 de setembro de 2020 às 14:06 | Atualizado 04 de setembro de 2020 às 14:09

Afastado do cargo de governador do Rio de Janeiro por 180 dias por ordem do Superior Tribunal de Justiça, Wilson Witzel está “morto politicamente” e não deve conseguir reaver seu mandato. 

Essa é a avaliação praticamente unânime feita à CNN nos últimos dias por ministros de tribunais superiores de Brasília e integrantes da cúpula do Congresso Nacional. 

Leia também:

Quem é Cláudio Castro, o cantor católico que assume o lugar de Witzel no RJ

Quem é Pastor Everaldo, preso em operação sobre fraude de contratos no Rio

“Witzel? Que Witzel? O finado? Esse está morto politicamente”, afirmou à coluna, sob reserva, um influente ministro de tribunal superior com bom trânsito no Legislativo e demais cortes superiores.

A aposta de integrantes do Legislativo e do Judiciário é de que o Supremo Tribunal Federal deve confirmar a decisão do STJ, mantendo Witzel afastado – e também por um placar acachapante. 

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, durante pronunciamento

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, durante pronunciamento

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil (23.jul.2019)

Na quarta-feira (2), a corte especial do STJ manteve por 14 votos a 1 a decisão monocrática do ministro Benedito Gonçalves, que determinou o afastamento do governador por seis meses.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, já se manifestou a favor de manter o governador afastado. Em parecer emitido nesta quinta-feira (3), seria “inviável” suspender o afastamento.