Reeleições causaram 'grande dano' ao país, diz Bruno Araújo, presidente do PSDB

Fernando Henrique Cardoso, primeiro presidente reeleito no país, disse que o instituto da reeleição "foi um erro"

Da CNN, em São Paulo
07 de setembro de 2020 às 17:08

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, falou em entrevista à CNN nesta segunda-feira (7) sobre o artigo publicado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no qual disse que o instituto da reeleição "foi um erro" -- FHC foi o primeiro presidente reeleito no país.

Segundo Araújo, a maioria do partido apoia o fim da reeleição, e afirmou que a reflexão sobre o tema vem crescendo dentro da sigla.

“Nós não estamos aqui discutindo qualquer direito a reeleição do atual presidente ou de todos aqueles que têm direito. Nós queremos fazer um debate de transição, com tempo necessário, discutindo para as eleições de 2022, 2024”, disse ele. 

Na avaliação do presidente do PSDB, as reeleições, sobretudo do ponto de vista nacional, causaram um “grande dano” ao país. A história mais recente, de acordo com ele, é o preço do impeachment de Dilma Rousseff.

“Dilma é resultado da sua reeleição. Extrapolou as contas públicas, inviabilizou as contas do país para o exercício de seu segundo mandato em 2015, e o resto do filme a gente conhece”, falou. 

Assista e leia também:

Precisamos de pessoas capazes de unir e liderar o país, diz FHC

Bruno Araújo, presidente nacional do PSDB
Foto: CNN (07.set.2020)

Mas Araújo reitera a importância de um debate isento. “Nós queremos fazer isso de forma descontaminada, [para que] ninguém esteja pensando em como dificultar ou facilitar a candidatura de A ou B, de partido C ou D, mas pensar o que é melhor para o país”. 

“Um mandato de cinco anos é mais estável? É suficiente para conduzir um plano a nível nacional?”, questionou. 

Sobre o artigo de FHC publicado nos jornais O Estado de S. Paulo e O Globo, Araújo disse que todo “mea-culpa” é um “exercício de humildade”.

“Um senhor de 90 anos de idade, catedrático de sociologia, duas vezes presidente da República, ministro da Fazenda, ministro das Relações Exteriores, senador. O presidente coloca e contextualiza em que momento se deu o processo de reeleição e, passado todos esses anos de instituto da reeleição, faz uma análise de quanto as contas públicas podem ser danificadas com a necessidade e com intuito da reeleição. Sobretudo no cenário nacional”, disse.

(Edição: Amauri Arrais)