De olho em 2022, PDT de Ciro anuncia apoio a Márcio França em SP


Da CNN, em São Paulo
12 de setembro de 2020 às 14:08 | Atualizado 12 de setembro de 2020 às 14:30
Márcio França

O ex-governador Márcio França, candidato a prefeito de São Paulo pelo PSB

Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

O Partido Democrático Trabalhista (PDT), legenda que tem o ex-ministro Ciro Gomes como principal liderança nacional, oficializou neste sábado (12) apoio à pré-candidatura do ex-governador Márcio França (PSB) a prefeito de São Paulo.

O partido de Ciro vai indicar o sindicalista Antonio Neto (PDT), presidente da Central de Sindicatos Brasileiros (CSB), para concorrer a vice na chapa de Márcio França.

Segundo o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, a aliança na capital paulista reflete a coligação que o partido espera ver nas eleições gerais de 2022.

"Essa união é apenas um prenúncio da formação da esquerda democrática e dos trabalhistas para um projeto nacional de desenvolvimento do nosso país, para a recuperação plena da nossa democracia", disse Siqueira, que participou da convenção do PDT.

"A eleição de SP tem um simbolismo muito grande no plano nacional, talvez seja a única, junto ao Rio de Janeiro, cujo resultado pode influenciar na corrida nacional em 2022", ressaltou Siqueira. O presidente do PSB também destacou a união de seu partido com o PDT em outras capitais como Porto Alegre (RS), Fortaleza (CE) e Rio Branco (AC).

Assista e leia também:

Ex-governador Márcio França é confirmado como candidato a prefeito de SP

Ricardo Nunes, do MDB, será vice de Bruno Covas em SP

No Recife, o PDT retirou a pré-candidatura do deputado federal Túlio Gadêlha para apoiar João Campos (PSB), também deputado e filho do ex-governador e ex-presidenciável Eduardo Campos, morto em 2014.

A aliança PSB-PDT conta com o apoio do Avante, do PMN e do Solidariedade, partido do deputado Paulinho da Força, que entrou em divergência pública com a ex-senadora Marta Suplicy (Solidariedade), que era cotada para concorrer a prefeita pelo partido.

Divergindo da decisão de Paulinho, Marta anunciou seu apoio pessoal à reeleição do prefeito Bruno Covas (PSDB) e participará da convenção tucana, também neste sábado (12).

(Com informações do Estadão Conteúdo)