Bancada evangélica diz ter votos para derrubar veto de Bolsonaro


Igor Gadelha
Por Igor Gadelha, CNN  
14 de setembro de 2020 às 12:40 | Atualizado 14 de setembro de 2020 às 23:27

Escalado como porta-voz da bancada para falar sobre o tema, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) disse à CNN nesta segunda-feira (14) que a Frente Parlamentar Evangélica contabiliza votos suficientes para derrubar o veto à isenção da Contribuição Social Sobre Lucro Líquido (CSLL) para igrejas e templos religiosos .

“Vamos derrubar. A FPE tem articulação suficiente para derrubar o veto”, afirmou o parlamentar à coluna. Pelas contas de Cavalcante, Câmara e Senado devem derrubar o veto com o mesmo placar de quando aprovaram a emenda prevendo a isenção. Na Câmara, foram 345 votos a 125. No Senado, a votação foi simbólica. 

Leia mais:
Bolsonaro veta parte de perdão a igrejas, mas estimula derrubada do próprio veto
Liberdade de Opinião: Garcia e Rezende abordam veto parcial de perdão a igrejas

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), porém, trabalha para manter o veto, apesar de Jair Bolsonaro ter dito que, se fosse parlamentar, votaria para derrubar o próprio veto. “Estamos construindo a solução”, afirmou Barros à CNN, contando que, só na manhã desta segunda-feira (14), teve duas reuniões para articular o tema.

Nessas conversas, o governo discute os termos de uma Proposta de Emenda à Constituição sobre o assunto. A proposta foi anunciada pelo próprio presidente da República nas redes sociais. Segundo ele, o PEC trará uma “possível solução para estabelecer o alcance adequado da imunidade das igrejas nas questões tributárias”.