Eduardo Pazuello toma posse como ministro efetivo da Saúde


Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
16 de setembro de 2020 às 17:20 | Atualizado 16 de setembro de 2020 às 23:33

O general Eduardo Pazuello foi empossado oficialmente nesta quarta-feira (16) como ministro de estado da Saúde após quase quatro meses de interinidade no cargo.

O termo de posse foi assinado por Pazuello e pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante cerimônia em Brasília.

Eduardo Pazuello é o terceiro ministro da Saúde efetivo desde o início do governo Bolsonaro. Antes, a pasta foi dirigida por Luiz Henrique Mandetta entre janeiro de 2019 e abril de 2020 e por Nelson Teich durante um mês, entre abril e maio deste ano.

Em discurso, o ministro da Saúde afirmou que nesses quatro meses de gestão interina ele teve que "trocar o pneu com o carro andando". Eduardo Pazuello elogiou o corpo técnico do Ministério da Saúde e do SUS e acenou com elogios aos conselhos dos secretários estaduais (Conass) e municipais (Conasems) de saúde.

Ele enfatizou a atuação do governo federal na contenção da doença, que já estaria em queda no Norte e Nordeste, tendência que começaria a ser replicada no Centro-Sul do país. Segundo Pazuello, o país teve sucesso ao adotar o tratamento precoce.

Assista e leia também:

Quem é Eduardo Pazuello, efetivado como ministro da Saúde

Quais são os ministérios do governo Bolsonaro

'Como militar, só aceitei mais uma missão', afirma Pazuello sobre efetivação

"Nós vimos que não era o melhor remédio o 'fica em casa' esperando ter falta de ar. O tratamento precoce salva vidas", disse o ministro da Saúde.

Eduardo Pazuello falou sobre o que chama de "novo normal" e disse que, até a solução final da vacina, será necessário "conviver" com a Covid-19.

"Novos hábitos, mais atenção às medidas de profilaxia e higiene, condutas de tratamento médico precoce e, principalmente, naturalidade em conviver com uma doença, assim como todas as outras do nosso cotidiano."