Discurso de Bolsonaro na ONU teve forte influência da ala militar


Igor Gadelha
Por Igor Gadelha, CNN  
22 de setembro de 2020 às 08:03 | Atualizado 22 de setembro de 2020 às 12:38

O discurso virtual que o presidente Jair Bolsonaro fez na manhã desta terça-feira (22) na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) teve forte influência de ministros e auxiliares da chamada ala militar do governo.

Segundo apurou a CNN, três militares tiveram participação mais relevante na elaboração: os ministros-generais Augusto Heleno, do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), e Fernando Azevedo, da Defesa, e o almirante Flávio Rocha, secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência.

Em 2019, primeira vez que Bolsonaro discursou na ONU como presidente, sua fala teve influência maior de integrantes da chamada ala ideológica. Neste ano, apenas o assessor para Assuntos Internacionais da Presidência, o olavista Filipe Martins, ajudou na elaboração do discurso.

Assista e leia também:

Somos vítimas de campanha brutal de desinformação, diz Bolsonaro; leia discurso

Secretário-geral da ONU diz que Covid-19 deixou o mundo de joelhos

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro em discurso exibido na Assembleia Geral da ONU

Foto: Reprodução/CNN (22.set.2020)

 

O discurso foi gravado na última quarta-feira (16) no Planalto e enviado para a ONU no dia seguinte. Pela primeira vez em 75 anos, a Assembleia Geral do organismo internacional será realizada de forma virtual, em razão da pandemia do novo coronavírus.