Datafolha: Russomanno lidera disputa para prefeito de SP com 29%; Covas tem 20%

A pesquisa também mediu a rejeição às candidaturas. O Datafolha entrevistou presencialmente 1.092 eleitores nos dias 21 e 22 de setembro

Diego Freire, da CNN, em São Paulo
24 de setembro de 2020 às 00:19 | Atualizado 24 de setembro de 2020 às 17:38

O deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) lidera a primeira pesquisa do Instituto Datafolha sobre a eleição para a prefeitura de São Paulo após a confirmação das candidaturas. Divulgado nesta quinta-feira (24), o levantamento tem Russomanno com 29% das intenções de voto e o atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), em segundo lugar, com 20%. Eles são seguidos por Guilherme Boulos (PSOL), com 9%; e Márcio França (PSB), com 8%.

Com 2%, aparecem Jilmar Tatto (PT), Arthur do Val (Patriota), Andrea Matarazzo (PSD) e Vera Lúcia (PSTU). Já cinco candidatos têm 1% de intenção de voto: Joice Hasselmann (PSL), Levy Fidelix (PRTB), Marina Helou (Rede), Orlando Silva (PCdoB) e Filipe Sabará (Novo).

Entre os entrevistados, 4% disseram não saber em quem votarão e 17% declararam voto em branco, nulo ou para nenhum candidato.

O Datafolha ouviu presencialmente 1.092 eleitores nos dias 21 e 22 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança é de 95%.

Assista e leia também:

Quem são os candidatos a prefeito de São Paulo nas eleições de 2020?

Quem são os candidatos a prefeito do Rio de Janeiro nas eleições de 2020?

Celso Russomanno
O deputado Celso Russomanno, candidato do Republicanos a prefeito de São Paulo
Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

 

Apesar de aparecer na pesquisa, Filipe Sabará teve sua candidatura suspensa em caráter liminar na noite desta quarta-feira. O conselho de ética do diretório nacional do Partido Novo comunicou aos filiados sobre a suspensão liminar dos direitos de filiado de Sabará, que terá prazo estabelecido pelo estatuto para a manifestação de sua defesa. 

O diretório nacional do Novo recebeu nesta quarta-feira um pedido de impugnação de Sabará assinado por Kauan Gonçalves Viscardi, de Santa Catarina. O motivo da contestação, contudo, não foi informado porque o documento é "sigiloso", segundo o partido.

 

Rejeição

Na mesma pesquisa, o Datafolha mediu também o índice de rejeição dos candidatos. O atual prefeito Bruno Covas registrou a maior oposição: 31% dos entrevistados declararam que não votariam nele de jeito nenhum.

Na sequência, as maiores rejeições foram de Levy Fidelix (30%), Joice Hasselmann (28%), Guilherme Boulos (24%) e Celso Russomanno (21%).

Três candidatos tiveram 19% de rejeição: Athur do Val, Jilmar Tatto e Vera Lúcia. Orlando Silva teve 18%; enquanto Márcio França foi citado por 17% dos entrevistados.

Filipe Sabará e Marina Helou tiveram rejeição de 16%; e Antônio Carlos Silva e Andrea Matarazzo, de 15%.

A pesquisa mostra que 7% dos entrevistados disseram rejeitrar todos os candidatos e que não votariam em nenhum; enquanto 3% afirmaram que votariam em qualquer um e não rejeitam nenhum deles. 6% disseram não saber responder a essa questão.

O levantamento foi contratado pelo jornal Folha de S. Paulo, com registro no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sob o número 06594/2020.