Para Ricardo Salles, revogação de portarias reduz burocracia


Da CNN, em São Paulo
28 de setembro de 2020 às 21:46 | Atualizado 28 de setembro de 2020 às 21:48



O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, defendeu a revogação de resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente que previam a delimitação de áreas de proteção ambiental. Segundo ele, a medida não tira a proteção legal. “Há o código florestal, a lei da mata atlântica e as normas de licenciamento ambiental para regrar estas questões. O fim da resolução não deixou um vácuo legislativo” disse Salles em entrevista à CNN.

“O Brasil é reconhecido como um dos mais burocráticos em termos de leis ambientais, são regras que impedem o desenvolvimento do país. O governo federal tem obrigação permanentemente de atualizar suas normas. Muitas vezes uma regra que faz sentido no passado não faz sentido no futuro”, acrescentou.

Leia também

Setembro de 2020 no Amazonas já tem 45% mais queimadas do que em 2019

'Bolsonaro e Mourão minimizam questão ambiental', diz ex-diretor do Inpe

Média de queimadas diárias no Pantanal tem queda de 84%

Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em entrevista para a CNN (28.set.2020

Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em entrevista à CNN (28.set.2020)

Foto: CNN Brasil

O ministro ainda defendeu o uso econômico da terra como uma maneira de preservar a natureza. “Para cuidar do meio ambiente é preciso entender os mecanismos econômicos para obter a prosperidade. Muitas vezes a burocracia legislativa faz com que as pessoas saiam destas áreas de proteção porque não conseguem explorá-las economicamente."

(Edição: Leonardo Lellis)