Alerj elege deputados para o Tribunal Misto do impeachment de Wilson Witzel

Alexandre Freitas (Novo), Chico Machado (PSD), Dani Monteiro (PSOL) e Waldeck Carneiro (PT) participarão de comissão mista com desembargadores

Rachel Amorim e Stéfano Salles, da CNN, no Rio
29 de setembro de 2020 às 17:25 | Atualizado 29 de setembro de 2020 às 20:54

Em sessão ordinária realizada nesta terça-feira (29), o plenário da Alerj elegeu seus representantes no Tribunal Misto, que dará sequência ao processo de impeachment do governador afastado do Rio Wilson, Witzel (PSC). São eles: Alexandre Freitas (Novo), Chico Machado (PSD), Dani Monteiro (PSOL) e Waldeck Carneiro (PT).  A quinta vaga ficou com Carlos Macedo (Republicanos).  

A votação foi nominal, ao microfone, e cada um dos parlamentares votou em cinco candidatos, uma vez que são cinco vagas. Ao todo, 67 dos 70 deputados estiveram presentes. As ausências foram de Martha Rocha (PDT), licenciada, João Peixoto (DC), que está internado, e Dionísio Lins (Progressistas). Havia um acordo para que os indicados ao tribunal misto fossem justamente os quatro eleitos e Anderson Moraes (PSL). 

Após empate, a última vaga do Tribunal Misto ficou com o Carlos Macedo pelo critério de idade. Ele tem 55 anos, contra 40 de Anderson Moraes (PSL), com quem empatou na votação em 34 votos. 

Leia mais:
Alerj aprova por unanimidade seguimento do impeachment de Wilson Witzel
TJ-RJ define nomes dos desembargadores para processo de impeachment de Witzel

No entanto, desde o início da votação, ficou clara a existência de uma disputa. A bancada do PSL não votou em parlamentares do PSOL e evitou votar no candidato do PT. Os parlamentares dos partidos de esquerda fizeram o mesmo com a legenda pela qual se elegeu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

Com isso, os candidatos Carlos Macedo (Republicanos) e Renan Ferreirinha (PSB) receberam mais votos que o esperado. Entre os votos surpreendentes da tarde, estão o da deputada Lucinha (PSDB), coautora do pedido de impeachment, em Alexandre Freitas (Novo), cumprindo o acordo feito no Colégio de Líderes. Os dois já tiveram muitos desentendimentos na Casa. A escolha fez a diferença: Freitas foi o mais votado por apenas um voto. 

Com essa eleição, a parte que cabe ao Legislativo nesse Tribunal Misto será representada majoritariamente por deputados de primeiro mandato. Dos quatro, apenas Waldeck Carneiro (PT) já tinha sido eleito para a Alerj em legislaturas anteriores. Chico Machado, que foi presidente da Comissão Especial do Impeachment, chegou a assumir o mandato, provisoriamente, na Legislatura passada, como suplente. 

Na segunda-feira, após a escolha, por sorteio, dos cinco desembargadores que representarão o Judiciário no Tribunal Misto, o presidente do Tribunal de Justiça (TJ-RJ), Cláudio de Mello Tavares, anunciou que convocaria para sexta-feira a primeira reunião do novo colegiado. Ele dirigirá os trabalhos do novo órgão. 

No sorteio do judiciário, foram definidos os nomes de: Teresa de Andrade Castro Neves, José Carlos Maldonado de Carvalho, Maria da Glória Bandeira de Mello, Ines da Trindade de Chaves de Melo e Fernando Foch de Lemos Arigony da Silva.

Resultado final:

Alexandre Freitas (Novo): 55 votos
Chico Machado (PSD): 54 votos 
Waldeck Carneiro (PT): 51 votos 
Dani Monteiro (PSOL): 37 votos 
Anderson Moraes (PSL): 34 votos
Carlos Macedo (Republicanos): 34 votos
Renan Ferreirinha (PSB): 33 votos
Felippe Poubel (PSL): 20 votos
Alana Passos (PSL): 9 votos