Presidente está voltado para 2022 com o Renda Cidadã, diz cientista político

Professor do Insper e cientista político, Carlos Melo entende que Bolsonaro não está focando seus esforços em medidas duradouras, mas sim na campanha eleitoral

Da CNN, em São Paulo
29 de setembro de 2020 às 00:28

A segunda-feira (28) foi marcada pelo anúncio, por parte da base aliada, do Renda Cidadã, novo programa social do governo que será bancado por parte do Fundeb e por precatórios. Apesar do anúncio, o professor do Insper e cientista político Carlos Melo entende que Bolsonaro não está focando seus esforços em medidas duradouras, mas sim na campanha eleitoral de 2022.

“O presidente encontrou a mina de ouro com o auxílio emergencial. Para seu benefício ele precisa manter esse dinheiro de alguma forma enquanto todo o resto fica secundário,” disse Melo.

“Uma reforma tributária coloca uma perspectiva do mais longo prazo. No auxílio você usa recursos que são esgotáveis além de criar desconfiança do mercado.”

Leia também

Governo não tem votos suficientes para aprovar reforma tributária

Relator do Orçamento 2021 defende o uso de parte do Fundeb para o Renda Cidadã

'Nada convencional', diz ex-deputado sobre origem dos recursos do Renda Cidadã

Professor do Insper e cientista político Carlos Melo, em entrevista para a CNN (28.set.2020)
Foto: CNN Brasil

Questionado se é válido o presidente visar lucro eleitoral com a medida, Melo diz não ver problema nas intenções, mas questionou o método de elaboração das políticas públicas do governo.

“Interesses diversos são naturais da política, o problema é que o governo não sabe fazer política, não sabe fazer um chamamento da sociedade, conversar com estados e municípios. Você não faz reforma tributária sem política, sem um pacto nacional. O presidente está voltado para seu interesse eleitoral em 2022 ao focar no Renda Cidadã.”

(Edição de Diego Freire)