Ação popular pede despejo de Witzel do Palácio Laranjeiras

Advogado afirma que ele não exerce função executiva no Estado, o que torna injustificável o gasto para mantê-lo na sede oficial do governo

Renata Agostini
Por Renata Agostini, CNN  
09 de outubro de 2020 às 18:38 | Atualizado 09 de outubro de 2020 às 18:58

Uma ação popular pede que a Justiça do Rio determine o despejo do governador afastado Wilson Witzel e de sua família do Palácio Laranjeiras. Apresentada pelo advogado Victor Travancas, ela foi protocolada e será julgada pela 9ª vara de Fazenda Pública. 

O advogado argumenta na ação que Witzel foi afastado do governo por ordem do Superior Tribunal de Justiça e há ainda o processo de impeachment em curso na Assembleia Legislativa do Rio. Diante disso, ele não exerce função executiva no Estado, o que torna injustificável o gasto para mantê-lo na sede oficial do governo fluminense.

Leia também:

Wilson Witzel pode ter que deixar Palácio Laranjeiras

“Witzel concedeu uma entrevista no Palácio, onde foi servido por mordomos, ao luxo de Whisky e Charutos Cubanos para à vergonha dos cidadãos do estado do Rio de janeiro que vivem afundados na crise provocada pelo Coronavírus”, diz trecho da ação, que a CNN teve acesso.

O advogado anexou na ação fotos do governador afastado que mostram as mordomias citadas.

Travancas argumenta ainda que, diante da crise financeira por que o estado, é necessário debater a legalidade da “existência e manutenção” de uma residência oficial “ao estilo monárquico” como o Palácio Laranjeiras. “Por óbvio, a Constituição do Estado, e/ou a Constituição Federal NÃO apregoa tal benesse mantida pelo dinheiro do contribuinte”, diz outra passagem da ação.

Durante a campanha, Witzel chegou a dizer que não deixaria o Grajaú, onde vivia com sua família, para usar a residência oficial. Não cumpriu a promessa e segue disposto a permanecer no local até o limite.