Senador alvo da operação que afastou Chico Rodrigues nega desvios


Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
16 de outubro de 2020 às 14:53 | Atualizado 16 de outubro de 2020 às 14:53

Mencionado na decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso que determinou o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), o senador Telmário Mota(PROS-RR) disse à CNN “desconhecer totalmente "a razão de seu nome aparecer na investigação".

“Tem um delator nesse esquema que está atirando para tudo quanto é lado, não sei a razão de meu nome aparecer no meio”,disse. Sobre a situação política do conterrâneo, foi taxativo: “está morto para política. Só Deus pra salvar o Chico”.

Ao afastar Rodrigues do cargo, Barroso o proibiu de manter contato com diversos investigados - entre eles o senador Telmaário Mota. Na última quarta-feira, durante uma operação da Polícia Federal de combate a desvios de recursos destinados ao combate do coronavírus, foram encontrados milhares de reais em sua cueca. Mais cedo a CNN revelou que foram encontradas notadas de R$ 200 e R$ 50 sob as roupas do senador.

Assista e leia também:

Partidos vão ao Conselho de Ética pela cassação do mandato de Chico Rodrigues

Não dá para ter 'coração mole' diante da atitude de Chico Rodrigues, diz Garcia

Telmário afirmou à CNN que não foi alvo de nenhum mandado de busca e apreensão e que não destinou emendas parlamentares diretamente ao governo de Roraima para combate ao coronavírus - Chico Rodrigues é suspeito de integrar um esquema de desvios de até R$ 20 milhões de tais emendas.

Apesar de considerar que o ex-aliado está “morto politicamente”, Telmário afirmou que não irá votar a favor de seu afastamento. Ele lembrou que foi contra saída de Aécio Neves (PSDB-MG) em 2017.  “A decisão do Barroso é radical, isolada, e já condenou o cara. Só Deus salva o Chico. Ele precisa ser ouvido”, declarou.

Senador Chico Rodrigues

Senador Chico Rodrigues

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado