Para presidente do Conselho de Ética, Chico Rodrigues pode trabalhar normalmente

Opinião de Jayme Campos diverge da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, na quinta-feira (15/09), determinou o afastamento do senador

Larissa Rodrigues, da CNN, em Brasília
19 de outubro de 2020 às 16:46 | Atualizado 19 de outubro de 2020 às 21:00

O presidente do Conselho de Ética do Senado, Jayme Campos (DEM-MT), afirmou à reportagem da CNN que para ele Chico Rodrigues (DEM-RR) segue como parlamentar em exercício. Segundo Campos, nesse momento o senador, flagrado com cerca de R$ 30 mil escondidos na cueca, mantém todos os seus diretos enquanto político eleito, podendo, inclusive, votar nas sabatinas agendadas para essa semana e receber salário normalmente.

A opinião de Jayme Campos diverge da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, na quinta-feira (15/09), determinou o afastamento do senador Chico Rodrigues. Na ocasião, a Corte informou que o afastamento do senador está em vigor até que haja decisão final do Senado ou mesmo do plenário do tribunal. “Ele (Chico Rodrigues) não está afastado agora, precisa que a Mesa Diretora considere válida a decisão do STF e que o Senado dê a palavra final”, completou Jayme Campos.

Leia mais:
Daniela Lima: Barroso dobra aposta ao levar caso de Chico Rodrigues ao plenário

No entanto, Campos, que será o responsável por coordenar o pedido de cassação apresentado junto ao Conselho de Ética por quebra de decoro parlamentar contra Chico Rodrigues, defendeu ainda que o senador se afaste dos trabalhos por conta própria. “Eu acho que ele [Chico Rodrigues] deveria se licenciar do mandato para esclarecer melhor os fatos. Um pedido acima de 121 dias de licença para tratar de assuntos particulares, assim não tem salário. Essa licença irá facilitar até para que os fatos sejam esclarecidos”, completou Jayme Campos.

O presidente do Conselho de Ética afirmou ainda já ter encaminhado a representação dos partidos contra Chico Rodrigues à Advocacia-Geral do Senado. Segundo ele, o órgão não tem data para terminar a análise jurídica do pedido de cassação, mas afirmou que para  que conselho se reúna e trate do assunto é preciso a derrubada de uma resolução que suspendeu o funcionamento da maioria das comissões do Senado devido à pandemia do novo coronavírus.

A assessoria de Jaymes Campos confirmou que o deputado Chico Rodrigues pediu para deixar o Conselho de Ética, do qual era membro, nesta segunda-feira.