Bolsonaro: Pazuello fica, e decisão do governo sobre Coronavac é definitiva

Presidente ainda afirmou que o governador de São Paulo, João Doria, sempre foi contra as medidas de combate ao coronavírus aplicadas pelo governo federal

Leandro Magalhães, da CNN, em Brasília
21 de outubro de 2020 às 21:21 | Atualizado 21 de outubro de 2020 às 23:41

 


O presidente Jair Bolsonaro afirmou à CNN na noite desta quarta-feira (21) que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, não vai sair da pasta e que o governo federal não vai recuar da decisão sobre a compra da vacina chinesa Coronavac.

"O ministro Pazuello não vai sair do governo. O que aconteceu foi um mal-entendido, mas isso não vai envenenar o nosso ambiente. Pazuello é meu amigo particular, e ele é um dos melhores ministros da Saúde que o Brasil já teve", ressaltou.

Leia também:

Na semana passada, Bolsonaro disse a Pazuello que não queria a "vacina da China"

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello testa positivo para Covid-19

Bolsonaro sobre Coronavac: "Só com certificação da Anvisa"

Jair Bolsonaro também disse à CNN que a decisão do governo federal em não comprar a vacina chinesa é definitiva.

"O gorverno já tomou a decisão, e essa decisão é definitiva. Não vamos comprar a vacina chinesa, porque não há vacina pronta".

O presidente ainda afirmou que o governador de São Paulo, João Doria, sempre foi contra as medidas de combate ao coronavírus aplicadas pelo governo federal.

"Ele [João Dória] está tentando tumultuar o ambiente. Sempre foi contra as nossas medidas de combate à Covid-19. A última foi impressionante: nós diminuímos impostos por causa da pandemia, mas o João Dória resolveu aumentar".

Alto preço da Coronavac

À CNN, o presidente Jair Bolsonaro também relatou que achou o preço da vacina chinesa muito elevado.

"Me parece um preço muito elevado para a quantidade da vacina que o governo de São Paulo quer comprar".