MP denuncia Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz

Eles respondem por organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e apropriação indébita

Victória Cócolo, da CNN, em São Paulo
04 de novembro de 2020 às 03:22 | Atualizado 04 de novembro de 2020 às 08:42

 
 

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) informou nesta quarta-feira (4) que denunciou ao Tribunal de Justiça do Estado o senador Flávio Bolsonaro, o assessor Fabrício Queiroz e mais 15 pessoas pela prática dos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e apropriação indébita, ocorridos entre os anos de 2007 e 2018.

Assista e leia também:

Suposto esquema na Receita Federal pode anular investigação das rachadinhas
STJ nega pedido de Flávio Bolsonaro para suspender processo da rachadinha

De acordo com o MP, a denúncia foi ajuizada no dia 19 de outubro, e redistribuída na terça-feira (3) ao desembargador responsável pelo processo.

Nota de defesa

A defesa de Flávio Bolsonaro enviou nota: "A denúncia já era esperada, mas não se sustenta. Dentre vícios processuais e erros de narrativa e matemáticos, a tese acusatória forjada contra o Senador Bolsonaro se mostra inviável, porque desprovida de qualquer indício de prova. Não passa de uma crônica macabra e mal engendrada. Acreditamos que sequer será recebida pelo Órgão Especial. Todos os defeitos de forma e de fundo da denúncia serão pontuados e rebatidos em documento próprio, a ser protocolizado tao logo a defesa seja notificada para tanto."

O senador Flávio Bolsonaro
O senador Flávio Bolsonaro
Foto: Pedro França/Agência Senado (19.fev.2019)