Local onde Bolsonaro vota tem segurança reforçada no Rio de Janeiro

Viaturas do choque da Polícia Militar se somarão aos oficiais do Exército, Polícia do Exército e do Gabinete de Segurança Institucional

Jairo Nascimento, da CNN, no Rio de Janeiro
15 de novembro de 2020 às 09:21 | Atualizado 15 de novembro de 2020 às 09:56


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai contar com um esquema de segurança reforçado para votar na Vila Militar em Marechal Hermes, zona oeste do Rio de Janeiro.

Viaturas do choque da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) se somarão aos oficiais do Exército, Polícia do Exército e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Todos os eleitores da seção serão revistados.

Assista e leia também: 
Eleições 2020: Quase 150 milhões de brasileiros vão às urnas neste domingo
Eleições 2020: Saiba o que muda na hora de votar por causa da pandemia
Não votei nas últimas eleições. Posso votar em 2020?

Local onde Bolsonaro vota está cercado por grades
Foto: Jairo Nascimento - 15.nov.2020 / CNN

De acordo com a assessoria de imprensa, o local de votação do presidente será isolado enquanto ele vota e a passagem dele pela seção eleitoral será rápida.

No acesso, todos os eleitores têm as bolsas revistadas e passam pelo detector de metal. Não é permitido entrar com bebidas e alimentos. A região está cercada por grades, mas as pessoas poderão ver o presidente nos mesmos moldes do "cercadinho" do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro deixou Brasília por volta das 8h da manhã. Ele descerá na base aérea dos Afonsos por volta das 9h30. Depois de votar, almoça na Vila Militar e volta a Brasília. Ele não deve acompanhar os filhos Carlos e Flávio Bolsonaro, que votam em Vila Isabel, na zona norte da capital fluminense.

(Com informações de Maria Mazzei, da CNN, no Rio de Janeiro)