Tentativa de ataque foi neutralizada pelo TSE e operadoras, diz Barroso

Presidente do TSE ressaltou que 'tudo está assustadoramente normal na maior parte do país' com relação a possíveis problemas no dia das eleições municipais

Jéssica Otoboni, Anna Satie e Gabriela Coelho da CNN, em São Paulo e em Brasília
15 de novembro de 2020 às 14:55 | Atualizado 15 de novembro de 2020 às 17:19

 

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, confirmou neste domingo (15) que houve uma tentativa de ataque aos sistemas do órgão, que foi "totalmente neutralizada pelo TSE e pelas operadoras de telefonia."

Segundo o ministro, houve uma grande quantidade de acessos para tentar derrubar o sistema. Ele acredita que a ação tenha sido executada do exterior.

Acompanhe a apuração dos votos para prefeitos e vereadores em tempo real

"Muito provavelmente, é quase certo [que o ataque tenha sido] de outro país", afirmou. "E, às vezes, você sofre ataque de outro país e alguém aqui reivindica apenas para ter popularidade ou crédito. Mas muito provavelmente, teria sido alguém de fora do Brasil". 

Ele disse que a tentativa não poderia afetar o processo de votação, uma vez que as urnas não estão conectadas a outros sistemas. "As urnas estão todas fora de rede. Eventuais ataques cibernéticos não têm o condão de afetar o processo de votação."

"Estamos apurando a informação, mas não houve ataque bem-sucedido no dia de hoje. Temos razões para supor que as informações vazadas se refiram a ataques antigos".

Assista e leia também:

E-Título deu problema? Veja outras formas de justificar o voto nestas eleições
Presidente do TSE, Barroso sinaliza com mudanças no sistema de votação para 2022

Ele disse que, nas supostas informações vazadas, os emails têm a extensão .gov. Todos os endereços do TSE terminam em "jus.br" desde 2010.

e-Título

Ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, fez coletiva para falar sobre as eleições municipais (15.nov.2020)
Foto: CNN Brasil

Ele destacou que o aplicativo e-Título operou perfeitamente, mas houve instabilidades por excesso de acessos.

"Depois dos ataques aos servidores do STJ, reforçamos a segurança dos nossos sistemas", afirmou. Ele explicou que um dos dois servidores foi desligado da rede. O remanescente acabou sofrendo uma sobrecarga, o que "afetou o desempenho ótimo o e-Título".

Segundo ele, o principal serviço do aplicativo, o de identificação do eleitor, funcionou sem intercorrências. Os problemas teriam se limitado à função de justificativa de voto e de indicação de local de votação.

Leia também:

Eleições têm instabilidade no e-Título, 66 prisões e 1700 urnas quebradas

Barroso afirmou ainda que "tudo está assustadoramente normal na maior parte do país" com relação a possíveis problemas no dia das eleições municipais. Até o momento, 1,7 mil urnas foram substituídas e houve 252 ocorrências em todo o país envolvendo candidatos e eleitores, além de 30 candidatos presos por boca de urna ou propaganda ilegal.