'PT errou em SP', diz candidato a vice; Tatto chama Boulos de 'irmão mais novo'

O depurado federal Carlos Zarattini, vice na chapa de Jilmar Tatto, candidato do PT à prefeitura de São Paulo, reconheceu que o partido errou a estratégia

Por Pedro Duran, da CNN Brasil em São Paulo
16 de novembro de 2020 às 00:39 | Atualizado 16 de novembro de 2020 às 00:48
Jilmar Tatto
O ex-deputado Jilmar Tatto, candidato do PT a prefeito de São Paulo
Foto: Divulgação/PT


O depurado federal Carlos Zarattini, vice na chapa de Jilmar Tatto, candidato do PT à prefeitura de São Paulo, reconheceu que o partido errou a estratégia na maior cidade do país. A autocrítica de Zarattini sobre a ação do Partido dos Trabalhadores tem relação com a fragmentação da esqueda em São Paulo.

Com a escolha de Tatto, as portas foram fechadas com outros aliados históricos ou em potencial. “Eu defendia a realização de primárias pra ter um candidato unitário da esquerda e não houve acordo dentro do PT”, admitiu ele à CNN.

Tudo sobre:
Tatto propõe renda básica, teste em massa e passe livre para desempregados em SP

“Lá atrás [o PT] errou. Agora, depois de iniciada a campanha, com 45 dias de campanha você retirar a candidatura eu acho um erro também, porque aí você já tem a chapa de vereadores montada e tudo mais”, completou.

“A gente teve um candidato que não conseguiu juntar, reunir, a opinião pública petista, não foi capaz de chamar a unidade dessas forças e acabou dispersando pra um nome que tinha mais viabilidade eleitoral. Nós não conseguimos juntar nossa base”, admitiu o deputado.

Apoio a Boulos

Logo após a confirmação da ida de Boulos para o 2º turno, Jilmar Tatto desejou sorte ao candidato, a quem chamou de "irmão mais novo".

"Acabei de ligar para o Guilherme Boulos, a quem tenho como um irmão mais novo. Desejei sorte e disse que ele pode contar comigo e com a nossa valente militância para virar o jogo em São Paulo", escreveu Tatto no Twitter.

Á CNN, Zarattini defendeu que o diretório municipal do PT se reúna já nesta segunda-feira (16/11) pra ‘sacramentar’ o apoio a Guilherme Boulos, do PSOL. A reunião precisa ser convocada pelo presidente do diretório paulistano do partido, Laércio Ribeiro.

“Eu acho que tem uma tendência grande de a gente apoiar o Boulos e seria bom a gente ter uma conversa com ele pra que o nosso diretório municipal sacramentasse isso. Eu acho que teria que ter uma reunião com o Boulos amanhã e o diretório do PT talvez se reunir amanhã mesmo”, disse Zarattini à CNN.