Daniela Lima: Mesmo após eleições, Congresso deve trabalhar com pauta mínima

Disputa entre Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Arthur Lira (PP-AL) pela presidência da Câmara deve empurrar discussão de reformas e orçamento para 2021

Da CNN
23 de novembro de 2020 às 11:36

No quadro Em Off desta segunda-feira (23), na CNN Rádio, Daniela Lima comenta a projeção da pauta do Congresso Nacional após o segundo turno das eleições municipais e adianta que pautas importantes, incluindo as reformas e o orçamento, devem ficar para 2021.

“A expectativa para a agenda do Congresso após as eleições é de impasse, de queda de braço. Aquela disputa que já falamos, sobre a presidência da Câmara – que, na verdade, vai ser dar só no ano que vem – já produz resultados neste ano há bastante tempo e não vai ser diferente no pós-eleição”, disse Daniela.

De acordo com a jornalista, o mais provável é que a Câmara trabalhe com uma pauta mínima já que a queda de braço entre os aliados de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e os aliados do deputado Arthur Lira (PP-AL) deve produzir uma espécie de paralisia.

Assista e leia também:
Renata Agostini: Como convencer base do governo a destravar pauta do Orçamento?
Conexão CNN: Pauta econômica do governo será crucial para as eleições de 2022
Mourão põe em dúvida votação do Orçamento ainda em 2020

“Deputados me disseram neste fim de semana que existe uma ideia de uma pauta mínima, que não engloba nem reforma tributária (em primeiro turno), como gostaria Maia, nem a extensão dos trabalhos”, continuou. 

“A ideia é que tudo se encerre no dia 20 de dezembro e o grosso da pauta econômica, inclusive orçamento, fique mesmo para o ano que vem. Dizem que pode passar a autonomia do Banco Central porque já foi aprovada pelo Senado.”

Quadro Em Off, com Daniela Lima, na CNN Rádio
Foto: CNN Brasil