Câmara: Candidatos à presidência tentam apoio de Maia até Natal para viajar país

Candidatos que disputam o apoio de Rodrigo Maia à sucessão da presidência da Câmara têm alertado que a escolha precisa sair até o dia 17 de dezembro

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
24 de novembro de 2020 às 06:07 | Atualizado 24 de novembro de 2020 às 12:01


Candidatos que disputam o apoio de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à sucessão da presidência da Câmara têm alertado que a escolha precisa sair até o dia 17 de dezembro, na semana que antecede o Natal. A expectativa é de que até lá o Supremo Tribunal Federal decida se o próprio Maia poderá concorrer.

A avaliação é de que a demora na escolha atrapalha a campanha que, neste ano, vai necessitar de muita sola de sapato já que a Câmara está esvaziada pela pandemia.

Leia também:
Quatro nomes despontam para a disputa da presidência da Câmara em 2021

Partidos não acreditam em votação de reformas em 2020

A eleição será em fevereiro do ano que vem e há meses não há sessões presenciais.

Como os eleitores são os próprios deputados, já há candidato planejando viagem para pedir voto cara a cara, no estado onde o parlamentar estiver.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Ainda que em menos proporção, candidatos à presidência da Câmara viajam em busca de apoio de políticos locais. Há acertos que vão de promessa de emendas a cargos, como em qualquer outra eleição. Dessa vez, essas viagens passam a ganhar uma conotação mais decisiva, a ponto de quem está de olho em cargos em comissões rever suas prioridades.

"Uma coisa é certa, se eu for candidato a sucessão do nosso grupo não vai dar pra conciliar. Não combina com andar o Brasil pedindo votos,  afinal de contas com as sessões remotas os deputados não estão em Brasília", afirmou um dos candidatos à CNN.

Outro candidato disse concordar e que a intenção do nome do candidato sair antes do natal precisa se configurar.

Centro-esquerda 

Rodrigo Maia esteve recentemente em Fortaleza (CE) com os irmãos Ciro e Cid Gomes, além de se reunir com deputados da aliança PT e PDT no estado. Maia busca a formação de um bloco que garanta mais de 300 votos.

O rol de interessados em ser "o escolhido" no grupo de Maia é extenso. Integram a primeira fileira o vice presidente da Câmara Marcos Pereira (Republicanos), Agnaldo Ribeiro (Progressista), o líder do MDB, Baleia Rossi e Elmar Nascimento (DEM).