Governo avaliza candidatura de Rodrigo Pacheco à presidência do Senado

Planalto aposta ainda que o MDB partirá rachado para a disputa e os votos serão pulverizados

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
15 de dezembro de 2020 às 20:47 | Atualizado 15 de dezembro de 2020 às 20:52

 

O governo avançou nas negociações com o DEM para apoiar informalmente a candidatura de Rodrigo Pacheco (MG) para a presidência do Senado.  

Está previsto um encontro do presidente do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto, com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta quarta-feira, 16). ACM, inclusive, já está em Brasília.

Leia também:

Quem são os candidatos às presidências da Câmara e do Senado

Como funcionam as eleições para presidente da Câmara e do Senado

Senador Rodrigo Pacheco
Foto: Rodrigo Pacheco/Twitter/Reprodução


Ele inclui também atrair o PSD por meio da desistência do senador Antonio Anastasia (MG) da candidatura, movimento que já foi sinalizado ao governo. 

No mapeamento feito, dos 12 senadores da legenda, 10 viriam com Pacheco. Junto com isso, o apoio dos senadores do Progressistas a candidatura de Pacheco. O governo aposta ainda que o MDB partirá rachado para a disputa e os votos serão pulverizados.  

Destaques do CNN Brasil Business:

Inflação faz juro ficar negativo e ter pior rendimento do milênio – e vai piorar

10 ideias de presente para melhorar a vida de quem está em home office

32% dos brasileiros conseguiram economizar em 2020, diz pesquisa da CNI

O desenho elaborado pelo governo parte do pressuposto de que as duas eleições, da Câmara e do Senado, são casadas. E que em razão disso, ao fortalecer o DEM no Senado, ajuda a enfraquecer a candidatura que Rodrigo Maia (DEM-RJ) tenta viabilizar na Câmara.