Republicanos, de Marcos Pereira, anuncia apoio a Lira em disputa na Câmara

Falta de consenso interno provocou nova reviravolta e sacramentou a saída do Republicanos da órbita de Rodrigo Maia

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
16 de dezembro de 2020 às 16:15

 

Depois de romper com o grupo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ),  o Republicanos, do deputado Marcos Pereira (SP), anuncia nesta quarta-feira (16) apoio à candidatura de Arthur Lira (PP-AL) na disputa pela presidência da Câmara. 

No início da semana, Pereira chegou a ser cotado para o posto de candidato do grupo de Maia, mas a falta de consenso interno provocou nova reviravolta e sacramentou a saída do Republicanos da órbita do atual presidente da Câmara. 

“Sempre deixei claro que não entraria em jogo jogado. Maia tinha um veto velado a mim”, disse Marcos Pereira à CNN.

Os acenos do grupo de Maia a Pereira tiveram início ainda na sexta-feira (11). A avaliação de integrantes do bloco formado por DEM, MDB, PSDB, PSL, PV e Cidadania era a de que os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Baleia Rossi (MDB-SP) não seriam consenso entre os aliados de Maia e que Pereira, além de enfrentar menos resistência interna, também tem potencial de atrair a maior parte dos 133 votos da oposição. 

Leia e assista também

Quem são os candidatos às presidências da Câmara e do Senado

Arthur Lira nega promessa de mudança na Ficha Limpa em troca de votos

O Republicanos, com 32 parlamentares, se junta aos nove partidos que já estão com Lira: PP, PL, PSD, Solidariedade, Avante, Patriota, Pros, PSC e PTB. A partir de agora, ao todo, o grupo tem 203 deputados. 

O apoio do Republicanos à candidatura de Lira também deve motivar a adesão do Podemos, que tem 10 deputados. Caso isso se confirme, o atual líder do PP na Câmara chegaria a 213 parlamentares. 

Para ser eleito em primeiro turno, o candidato ao comando da Câmara precisa de 257 votos. Como a votação é secreta, os postulantes ao posto contam sempre com dissidências nos partidos.

O grupo de Maia tem, hoje, 159 parlamentares. Nesta quarta-feira (9), o presidente da Câmara anunciou a formação de um bloco com DEM, PSL, MDB, PSDB, Cidadania e PV.

Os números dos blocos levam em conta os dados oficiais registrados hoje pela Câmara. Até fevereiro, no entanto, deve haver algumas mudanças. O resultado das eleições municipais mexe nas bancadas partidárias, uma vez que parlamentares foram eleitos prefeitos. 

Ao anunciar o rompimento com Maia, a ideia de Pereira era apostar, a princípio, em sua própria candidatura, numa espécie de terceira via entre o grupo do atual presidente da Câmara e o do deputado Arthur Lira (PP-AL). 

O fortalecimento do grupo de Lira, no entanto, fez o presidente do Republicanos rever sua estratégia. Pesou na decisão a movimentação de parte da esquerda em direção ao líder do PP. A avaliação é a de que, dificilmente, a oposição estará unida com Maia.