Maria Saad: redes sociais deveriam ser neutras, sem editar conteúdo

Bolsonaro criticou o Facebook e afirmou que a rede social está impedindo seus seguidores de anexar imagens nos comentários

Da CNN, em São Paulo
16 de fevereiro de 2021 às 15:03

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou o Facebook e afirmou que a rede social está impedindo os seguidores dele de anexar imagens nos comentários das publicações para prevenir a disseminação de fake news. Ele disse ainda que as redes pagam pouco imposto para operar dentro do Brasil e que é preciso tomar medidas para garantir a todos a liberdade de expressão.

No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (16), a comentarista Maria Fernanda Saad avalia as declarações de Bolsonaro sobre as redes sociais.

“As redes sociais representam um notável avanço para a liberdade de expressão. Não fossem as redes sociais, milhares de pessoas, todas hoje como influenciadores, não teriam nenhuma possibilidade de disseminar seu pensamento, compartilhando sua visão de mundo, expondo suas análises sobre fatos políticos, por exemplo. E, como costumeiramente se diz, as redes sociais furaram a bolha. Os liberais surfaram na onda das redes sociais porque alcançaram a maioria silenciosa da população que definitivamente não compartilha das bandeiras da esquerda progressista, que, não raro, com seus excessos identitários, mais divide do que une”, disse Saad.

“Foram as redes sociais, para muitos, que permitiram a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, e de Jair Bolsonaro no Brasil. E a esquerda culpa as redes sociais por isso. Ao que parece, agora elas querem corrigir, com certo autoritarismo, o “erro” que entendem ter cometido. Ou seja, dar espaço e vazão para a direita liberal conservadora".

"(...) As redes sociais, que se transformaram em praças públicas da era moderna, deveriam ser plataformas neutras, e não, usando uma expressão americana, publishers, editando e filtrando conteúdo. Porque, se assim agem, deveriam ser responsabilizadas pelo que autorizam ser publicado, e isso evidentemente tornaria o negócio inviável. Portanto, o melhor caminho para essas grandes empresas, essas redes sociais, é que não funcionem como editores.”

A comentarista Maria Fernanda Saad no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN (16.fev.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.