Ofensivas no STF e STJ selam cerco à Lava Jato após novas mensagens reveladas

No final de semana o TCU abriu uma investigação para levantar todas as ligações da corte para membros da força tarefa

Da CNN, em São Paulo
22 de fevereiro de 2021 às 19:44 | Atualizado 22 de fevereiro de 2021 às 20:25

 


A nova leva de mensagens entre procuradores da Lava Jato, utilizadas na Operação Spoofing, fechou o cerco contra os membros da força-tarefa de Curitiba. As conversas reveladas recentemente incluem ofensivas no Supremo Tribunal Federal (STF), no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Tribunal de Contas da União (TCU). As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

No final de semana, o TCU abriu uma investigação para levantar todas as ligações do tribunal para membros da força-tarefa. Há a suspeita de que um técnico invadiu o sistema a fim de fornecer dicas para a equipe da Lava Jato em Curitiba, incluindo informações sigilosas. 

O ministro do TCU Bruno Dantas disse que, no momento, não vai pedir cópias das mensagens entre os procuradores, mas caso necessário, poderá solicitar o material.

Já o presidente do STJ, Humberto Martins, como antecipou a analista de política da CNN Thaís Arbex, abriu inquérito na sexta-feira (19), para apurar as informações de que a força-tarefa da Lava Jato tinha conversas com integrantes da Receita para investigar membros do STJ e seus parentes de maneira extra-oficial.

Martins tem parentes citados em investigações da Lava Jato, assim como outros ministros do STJ.

Sede do TCU (Tribunal de Contas da União), em Brasília
Sede do TCU (Tribunal de Contas da União), em Brasília
Foto: Divulgação/TCU

 

(Publicado por Sinara Peixoto)