Itaipu, autarquia ou assessoria de Bolsonaro: os possíveis destinos de Pazuello

Presidente analisa alternativas para manter o general no governo; ele deixará o Ministério da Saúde

Por Igor Gadelha, CNN  
16 de março de 2021 às 10:01 | Atualizado 16 de março de 2021 às 13:57

O presidente Jair Bolsonaro analisa algumas opções para tentar manter no governo o general Eduardo Pazuello, que deixará o comando do Ministério da Saúde nos próximos dias. A ideia seria indicar o militar para algum posto que passe a impressão de que ele “caiu para cima”.

Segundo auxiliares presidenciais e aliados de Pazuello, há pelo menos três opções em estudo. Uma delas seria indicar o militar para ser o diretor-geral brasileiro de Itaipu, no lugar do general Joaquim Silva e Luna, que deixará o comando da estatal para assumir a Petrobras.

No final de fevereiro, o Ministério de Minas e Energia havia anunciado que Silva e Luna seria substituído pelo general da reserva João Francisco Ferreira. Caso opte por Pazuello, o governo federal faria uma nova indicação ao conselho de administração da estatal.

As outras duas opções avaliadas por Bolsonaro para o destino de Pazuello seriam assumir o comando de alguma autarquia vinculada ao governo federal ou ainda ser indicado como assessor especial direto do presidente da República no Palácio do Planalto.

Nesta segunda-feira (15), o analista da CNN Caio Junqueira noticiou que generais veem com restrições um eventual retorno ao Exército de Pazuello, que é general da ativa. Haveria receio de que a volta do militar após 10 meses como ministro contamine politicamente os quarteis.