Doria critica Covas por antecipação de feriados: "Faltou bom senso"

Para o governador, a medida deveria ter sido "discutida previamente"; o prefeito Bruno Covas (PSDB) antecipou cinco feriados e alterou horários de rodízio

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo
19 de março de 2021 às 11:59 | Atualizado 19 de março de 2021 às 17:32

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou o prefeito Bruno Covas (PSDB) durante a liberação de mais de 2 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta sexta-feira (18), no Instituto Butantan. 

Para Doria, "faltou bom senso" à prefeitura de São Paulo ao anunciar a antecipação de cinco feriados nesta quinta-feira (18) e a medida teria gerado "dúvidas e preocupações em prefeitos do litoral". 

"Alertamos a prefeitura de que a medida deveria ser discutida previamente. Gera dúvidas e preocupações em prefeitos, sobretudo do litoral. A decisão do prefeito foi anunciar sem esse entendimento prévio. Criou mal-estar com prefeitos. Faltou um pouco bom senso à prefeitura de São Paulo", disse Doria em resposta à Rádio Bandeirantes durante fala no Instituto Butantan.

João Doria fala sobre a fase emergencial em São Paulo
Foto: Mister Shadow/Asi/Estadão Conteúdo

 A antecipação dos feriados acontece a partir da próxima sexta-feira (26). A medida visa diminuir a circulação de pessoas nas ruas para frear a transmissão do novo coronavírus.

Os dois feriados municipais deste ano (Corpus Christi e Dia da Consciência Negra) e os três do ano que vem (os mesmos e o Aniversário da Cidade) serão movidos para os dias 26, 29, 30, 31 de março e 1º de abril.

De acordo com Covas, somando os feriados antecipados ao feriado nacional do dia 2 de abril (Paixão de Cristo), serão dez dias de folga em que os paulistanos deverão permanecer em casa.

A alteração no horário de rodízio de veículos na capital também foi mais uma medida para evitar a propagação do coronavírus. 

De acordo com a prefeitura, o rodízio será das 20h às 5h a partir da próxima segunda-feira (22), para as placas com final 1 e 2. Os horários seguem o que foi estabelecido pelo toque de recolher do governo estadual.