Lira cobra divulgação mais rápida de vacinas aplicadas em estados e municípios

Presidente da Câmara questiona diferença de quase 14 milhões de doses entre o que o Ministério da Saúde distribuiu e o que foi, efetivamente, usado na população

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
31 de março de 2021 às 11:53 | Atualizado 31 de março de 2021 às 12:21

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), cobrou nesta quarta-feira (31) que estados e municípios tenham mais agilidade na divulgação do número de doses aplicadas das vacinas contra a Covid-19.

Segundo Lira, atualmente há um grande distanciamento entre o total de doses distribuídas pelo Ministério da Saúde e o número efetivo de imunizantes aplicados na população, o que pode impactar tanto nas medidas tomadas pelo governo federal quanto na compreensão pela população do “nível de vacinação em que o Brasil se encontra”.

“Temos que prestar atenção em um dado, principalmente a imprensa: porque o Brasil distribuiu 34 milhões de doses de vacinas e só temos 18 milhões aplicadas?”, questionou, em entrevista coletiva após reunião do Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19.

“Não acredito e não acho que seja possível que nenhum governador e prefeito não esteja vacinando, mas estamos com um déficit de quase 14 milhões de vacinas nos gráficos oficiais e isso impacta percentualmente e absolutamente na informação dada aos brasileiros”, continuou.

Ele disse que o Comitê pediu que o Ministério forme, urgentemente, um grupo mais rígido de controle desses dados.

“É importante que a imprensa nos ajude nessa cobrança que é transferida aos senhores governadores – não acredito em hipótese alguma em má vontade ou má fé nisso, pelo contrário, mas [parece haver] em um atabalhoamento por causa da pandemia de informação por parte de governo estaduais e municipais do retorno dessa vacinas enviadas”, afirmou.

“Temos tomado isso como preocupação e cobrado isso diariamente para que tenhamos informação que, nesse período, é tudo.”

Presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), cobrou agilidade na divulgação do número de vacinados
Foto: Reprodução/CNN Brasil (31.mar.2021)

Na mesma entrevista, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reconheceu a necessidade do aprimoramento dos sistemas da pasta para conseguir fornecer os dados mais atualizados sobre a vacinação no país.

"Precisamos aprimorar nosso sistema de informação para que ele consiga colher dos municípios e dos estados os dados, para que o DataSUS seja abastecido de tal sorte que os senhores e a população brasileira tenham dados concretos a cerca da vacinação", afirmou.