Bolsonaro pede a novo diretor-geral da PF para ressuscitar caso Adélio

Presidente da República foi alvo de uma facada durante campanha eleitoral de 2018 na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
07 de abril de 2021 às 19:42 | Atualizado 07 de abril de 2021 às 19:59

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se encontrou com o novo diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, na semana passada em Brasília.

Estava presente no encontro também o novo ministro da Justiça, Anderson Torres, antes mesmo de sua posse.

Na conversa, segundo relatos, o presidente disse que ele teria liberdade de atuação, mas fez um pedido: que descobrisse quem quis matá-lo. Uma referência à tentativa de assassinato do presidente durante a campanha eleitoral de 2018, quando Adélio Bispo o deu uma facada. O episódio aconteceu no dia 6 de setembro em Juiz de Fora.

Nos dois inquéritos abertos pela Polícia Federal para investigar o caso, a avaliação foi a de que Adélio planejou e executou o crime sozinho. A PF agora aguarda uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para ter acesso aos celulares dos advogados que defenderam Adélio.

Procurados, a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto e a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça não se manifestaram. A PF não se manifestou.

Adélio Bispo de Oliveira é escoltado por policiais federais em aeroporto de Juiz
Adélio Bispo de Oliveira é escoltado por policiais federais em aeroporto de Juiz de Fora
Foto: Ricardo Moraes - 08.set.2018/Reuters