'Vou ter que sair na porrada,' diz Bolsonaro sobre Randolfe Rodrigues

"Se você não participar [da CPI], a “canalhada” do Randolfe Rodrigues vai participar. E vai começar a encher o saco," disse Bolsonaro

Da CNN, em São Paulo
12 de abril de 2021 às 16:55 | Atualizado 12 de abril de 2021 às 17:10

Em um novo áudio divulgado nesta segunda-feira (12) pelo senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) de uma conversa que teve com Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente afirma que terá que "sair na porrada" com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição.

Kajuru e Bolsonaro conversavam sobre a CPI da Covid-19, pedida por Rodrigues e cuja abertura foi determinada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. Na conversa com Kajuru, o presidente defende que a CPI seja ampla e investigue atos de governadores e prefeitos. O senador concorda e diz que se não fosse para ser ampla, não participaria.

“Se você não participar [da CPI], a 'canalhada' do Randolfe Rodrigues vai participar. E vai começar a encher o saco. Daí vou ter que sair na porrada com um b. desses,” disse Bolsonaro durante conversa com o senador Kajuru.

Rodrigues disse que o foco no momento não deve ser brigas políticas, mas vacina e alimento para a população. “A única briga que temos que estar preocupados neste momento é com vacina no braço e comida no prato dos brasileiros,” disse o senador.

Entenda

Na semana passada, o ministro Luis Roberto Barroso determinou que o Senado abra a CPI para apurar a condução do governo federal na pandemia de Covid-19. O Plenário da Corte se reúne na quarta-feira (14) para decidir se segue a determinação de Barroso. No sábado (10), o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) protocolou um pedido para ampliar a CPI da Covid à atuação de estados e municípios.

Na conversa divulgada parcialmente pelo senador no domingo, Bolsonaro se queixa: "É uma CPI completamente direcionada para a minha pessoa". "Não, presidente. Mas, presidente, a gente pode convocar governadores", responde o senador, que diz que irá mudar o objeto da CPI para poder ouvir governadores: "Eu quero ouvir governadores". "Se mudar, 10 pra você, porque nós não temos nada a esconder", responde Bolsonaro. "Não, eu não abro mão de ouvir governadores de forma alguma. Só quero que o senhor coloque eu no mesmo joio", diz Kajuru.

"Você tem de fazer do limão uma limonada. Por enquanto, tem um limão aí. Dá para sair uma limonada. Tem de peticionar o Supremo pra botar em pauta o impeachment também", diz Bolsonaro a Kajuru na gravação revelada pelo senador. Na resposta, o senador diz que já solicitou, no Senado, o impeachment do ministro Alexandre de Moares. 

"Eu tenho que começar pelo Alexandre de Moraes porque o meu do Alexandre de Moraes já está lá engavetado pelo [Rodrigo] Pacheco. Só falta ele liberar", justifica Kajuru. "Você peticionou o Supremo, né?", reforça Bolsonaro. "Claro. Eu entrei contra o Supremo. Eu entrei ontem às 17h40", replica o senador. "Parabéns pra você", diz Bolsonaro.

"Kajuru, depois que nós conversamos aqui, nós dois estamos afinados, nós dois. É CPI ampla e investigar ministros do Supremo. Ponto final", completa o presidente da República. "E nunca revanchista", responde Kajuru. A fala sobre Randolfe Rodrigues vem na sequência deste diálogo e foi divulgada por Kajuru nesta segunda.

Senador Randolfe Rodrigues
Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa extraordinária. Em pronunciamento, à bancada, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). (4.mar.2020)
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado