À CNN, Salles diz que recursos estrangeiros podem acelerar fim do desmatamento

Em carta a Joe Biden, o presidente Jair Bolsonaro prometeu o fim do desmatamento ilegal no Brasil até 2030

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo
14 de abril de 2021 às 23:22

Em entrevista exclusiva à CNN, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que a meta do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de acabar com o desmatamento ilegal no Brasil até 2030 pode ser antecipada se países estrangeiros ajudarem o Brasil com recursos. O compromisso de Bolsonaro foi explicitado em carta ao presidente americano Joe Biden, enviada nesta quarta-feira (14). 

"A proposta de 2030, o compromisso de zerar o desmatamento ilegal é factível com os recursos que temos hoje", afirmou Salles, que disse ser possível encurtar "ao máximo" esse prazo se houver recursos para "cuidar das 23 milhões de pessoas que estão na Amazônia". 

"Mas eu digo recursos suficientes na magnitude do que é um problema de uma região que é do tamanho, praticamente, da União Europeia, com diversos problemas logísticos e com 23 milhões de pessoas que vivem lá", reforçou. 

Salles negou que se trate de uma troca de metas para o fim da devastação ambiental por ajuda financeira, uma vez que o Brasil já está comprometido em cumprir o Código Florestal. Mas ressaltou que espera união e ajuda de governos, empresas e entidades internacionais. 

Questionado sobre a relação até aqui tumultuada entre o governo Bolsonaro e organizações não-governamentais (ONGs) que atuam na região Amazônica, Ricardo Salles afirmou que a cooperação entre governo e ONGs "é possível e já ocorre em alguns casos", mas que o governo vai continuar evitando "embate político disfarçado de tentativa de cooperação". 

"Se tivermos, como diz a carta, um diálogo proveitoso, construtivo, objetivo e comprometido, ele é possível e deve ser feito com todos os segmentos", complementou o ministro. 

O ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles
O ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles (28.ago.2019)
Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Carta a Biden

O presidente Jair Bolsonaro enviou nesta quarta-feira uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na qual se comprometou pela primeira vez a dar fim ao desmatamento ilegal no Brasil. De acordo com Bolsonaro, 2030 deverá ser a data limite para que esse objetivo seja cumprido. 

“Queremos reafirmar neste ato, em inequívoco apoio aos esforços empreendidos por V. Excelência, o nosso compromisso em eliminar o desmatamento ilegal no Brasil até 2030", escreveu Bolsonaro no documento obtido pela colunista da CNN Raquel Landim.

A questão climática e o meio ambiente são duas das principais preocupações de Biden, que deu ênfase a essas pautas durante as eleições de 2020, disputadas contra o republicano Donald Trump, então presidente dos EUA e aliado político de Bolsonaro. 

Em 22 de abril, os Estados Unidos vão realizar a Cúpula de Líderes sobre o clima, evento que deve contar com a presença de Bolsonaro, ainda de acordo com a carta enviada pelo brasileiro. Bolsonaro disse ter "muita satisfação em participar o evento".