Lira dirá ao STF que Constituição não lhe dá prazos para analisar impeachment

Cármen Lúcia determinou à Câmara que em cinco dias seja explicado o motivo de os pedidos de impeachment na casa não serem analisados

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
16 de abril de 2021 às 09:31 | Atualizado 17 de abril de 2021 às 00:18

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), vai informar à ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia que a Constituição Federal não estabelece prazos para que presidentes da casa analisem pedidos de impeachment contra presidente da República.

A área técnica da Câmara também devera lembrar Cármen que isso vale tanto para ele quanto para seu antecessor Rodrigo Maia, que não despachou nenhum dos mais de 60 pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro e que foram herdados por Lira.

Nesta quinta-feira, Cármen Lúcia determinou à Câmara que em cinco dias seja explicado o motivo de os pedidos de impeachment na casa não serem analisados.

Arthur Lira (E) comanda sessão na Câmara dos Deputados
Arthur Lira (E) comanda sessão na Câmara dos Deputados
Foto: Luis Macedo - 3.fev.2021/Câmara dos Deputados