Presidente do Republicanos se reúne com Boulos para discutir 2022

Ambos trataram de uma aproximação, principalmente para as eleições de 2022

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
19 de abril de 2021 às 21:09
 Guilherme Boulos
O encontro ocorreu na residência de um amigo em comum no bairro dos Jardins, zona nobre de São Paulo
Foto: RONALDO SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente do Republicanos, Marcos Pereira, jantou na sexta-feira (16) com Guilherme Boulos, integrante do PSOL e uma das principais lideranças da esquerda brasileira.

O encontro ocorreu na residência de um amigo em comum no bairro dos Jardins, zona nobre de São Paulo. Ambos trataram de uma aproximação, principalmente para as eleições de 2022.

“Foi uma primeira reunião para ambos (ele e eu) nos conhecermos. Atendi a pedido de um amigo em comum”, disse à CNN Marcos Pereira.

Boulos tem pretensão de ser candidato a governador de São Paulo, mas, segundo relatos, tentou no jantar deixar claro que tem pontos em comum com o segmento evangélico, hoje majoritariamente bolsonarista. 

O Republicanos, inclusive, abriga em seus quadros dois filhos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido): o senador Flavio e o vereador do Rio de Janeiro Carlos.

Boulos pediu ajuda, segundo interlocutores, para desvencilhar a ideia que a direita tenta lhe impor de que ele pretende, se eleito para algum cargo majoritário, defender a invasão de casas. 

No encontro, Boulos afirmou respeitar toda denominação religiosa e que gostaria de se aproximar do centro político.  Pereira, por sua vez, disse que a igreja sempre tenta se adaptar aos novos tempos. Ambos combinaram de se reunir em breve novamente.

Pereira disse haver um abismo muito grande entre os dois projetos, mas que quem mais ajuda na agenda social são os evangélicos. Além disso, afirmou que o campo progressista tem uma agenda social também muito forte. 

O presidente do Republicanos também alertou Boulos de que há uma desconfiança muito grande do setor produtivo em relação a ele, e que ele precisa ver como transmitir credibilidade a este segmento.

“Tenho já há algum tempo buscado trabalhar por reaproximação da esquerda com evangélicos. Isso é essencial. Construiu-se uma estigmatização dos dois lados. O encontro ocorreu nesse contexto: esquerda e evangélicos buscarem se dialogar”, disse à CNN Boulos.