Salles: Brasil apresentou plano aos EUA, mas precisa de verbas para fiscalização

O ministro do Meio Ambiente reafirmou o que disse o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante seu discurso na Cúpula do Clima nesta quinta-feira (22)

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo
22 de abril de 2021 às 11:58 | Atualizado 22 de abril de 2021 às 12:54

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, informou durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (22) que o Brasil apresentou uma plano de ação aos Estados Unidos para reduzir o desmatamento e a emissão de carbono até 2030, porém serão necessários recursos para que o plano seja colocado em prática.

A fala de Salles aconteceu pouco depois do discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Cúpula do Clima, organizada pelos Estados Unidos.

"Há necessidade de recursos a serem implementados imediatamente, razão pela qual estamos abrindo essa possibilidade de que estrangeiros nos ajudem com recursos vultosos imeditamente para cuidar da parte econômica e social da Amazônia", disse Salles.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, o plano de ação do Brasil no combate ao desmatamento foi apresentado "a pedido dos Estados Unidos" e controle do desmatamento contaria com o apoio da Polícia Federal (PF) e também das policiais dos estados.

"O Brasil apresentou aos Estados Unidos, há cerca de um mês atrás e a pedido deles, um plano de ação para que em 12 meses, havendo recursos, pudesse se avançar rapidamente na preservação do desmatamento. Esses recusos contemplam a parte econômica e a parte de comando e controle que somará as forças do Ibama, Polícia Federal, e Polícia Rodoviária Federal, além de equipes da Força Nacional e logística com apoio das Forças Armadas. Também é preciso contar com as polícias dos estados", disse. 

No entanto, segundo Salles, para que as metas estabelecidas no planos sejam colocadas em prática é necessário "recursos adicionais". 

Ele reafirmou o que disse o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante seu discurso na Cúpula do Clima dos EUA. Na manhã desta quinta, Bolsonaro se comprometeu em reduzir suas emissões de carbono em 43% e eliminar o desmatamento ilegal até 2030.

"Com relação ao desmatamento a curto prazo, as ações que serão colocadas em prática a partir de 1º de maio tem todas as condições de reduzir o desmatamento até 2030, mas nada nos impede de reduzir o desmatamento desde agora", disse Salles.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, falou com jornalistas após o discurso do presidente Jair Bolsonaro na Cúpula de Líderes sobre o Clima
Foto: Reprodução/CNN Brasil (22.abr.2021)