Para presidente da CPI da Pandemia, convocação de Wajngarten é 'imprescindível'

A convocação do ex-secretário de Comunicação foi um ponto de divergência entre os membros da CPI, que deve voltar a discutir o assunto no dia 11

Bia Gurgel, da CNN, em Brasília
29 de abril de 2021 às 13:38 | Atualizado 29 de abril de 2021 às 14:08

 A sessão desta quinta-feira (29) da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado terminou sem acordo entre os membros para a convocação do ex-secretário especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten, para prestar esclarecimentos.

O presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse que será "imprescindível" a presença do ex-secretário e de um representante da Pfizer.

"Queremos saber porque a gente não comprou as 70 milhões de vacinas", disse o senador, se referindo ao adiamento na compra de vacinas da Pfizer por parte do governo federal.

De acordo com a empresa, no ano passado foram feitas ofertas formais para venda de imunizantes que ficaram sem resposta do Ministério da Saúde.

Inicialmente, o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), havia incluído a convocação de Wajngarten na lista dos primeiros requerimentos, que foram aprovados na manhã desta quinta.

Entretanto, por ser um ponto de conflito entre os membros da comissão, a análise do pedido de oitiva foi adiada para o dia 11 de maio, após acordo com os demais integrantes do colegiado.

"Com certeza ele virá nos próximos dias porque é um fato determinante [para explicar] a falta de vacinas.", concluiu Aziz.

Chefe da Secom, Fábio Wajngarten  em evento oficial
O ex-secretário Fábio Wajngarten em evento oficial (12.mar.2020)
Foto: Anderson Riedel/PR