'Não tenho nada para esconder', diz Witzel sobre convocação da CPI

O requerimento para convocar o ex-governador do Rio foi aprovado pelos senadores no início da tarde desta quarta-feira (26)

Pedro Duran, da CNN, no Rio de Janeiro
26 de maio de 2021 às 15:00
Em vídeo para deputados, Witzel afirmou que acusações contra ele são levianas
Foto: Antonio Cruz - 26.mar.2019/ Agência Brasil

O ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), disse que vai à CPI da Pandemia e responderá a todos os questionamentos dos senadores membros e suplentes do colegiado. O requerimento para convocar Witzel foi aprovado pelos senadores no início da tarde desta quarta-feira (26). "Não tenho nada pra esconder", disse ele à CNN.

Witzel disse ainda que a decisão de prestar esclarecimentos pode atender aos anseios de famílias que perderam parentes vítimas da Covid-19. "Ainda não recebi nada, mas não vejo razão para deixar de ir ou esclarecer qualquer fato. É um momento muito difícil da nação brasileira e o mínimo que o povo espera são repostas para mais de 400 mil famílias que perderam seus entes queridos", disse o político à CNN.

Na última segunda-feira, o ex-governador entrou com um recurso no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro pedindo que o impeachment que o tirou definitivamente do cargo mais alto da política fluminense seja anulado. A decisão está nas mãos do desembargador Bernardo Garcez que foi sorteado como relator.

No último dia 30 de abril, Wilson Witzel sofreu impeachment depois de um julgamento no Tribunal Especial Misto, composto por desembargadores e deputados. Ele foi acusado de ter cometido crime de responsabilidade, com o favorecimento de organizações na área da saúde. Ele e os advogados refutaram as alegações durante todo o julgamento e ainda contestam as acusações de que teria cometido ilegalidades na gestão da pandemia no Rio de Janeiro.