Copa América, Coronavac, Luana e Mayra Pinheiro; veja falas de Queiroga na CPI

Ministro da Saúde voltou a prestar depoimento à CPI da Pandemia nesta terça-feira (8)

Gregory Prudenciano e Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo
08 de junho de 2021 às 18:21
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, presta segundo depoimento à CPI da Pandemia
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, presta segundo depoimento à CPI da Pandemia
Foto: Jefferson Rudy - 8.jun.2021/Agência Senado

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, prestou novo depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia nesta terça-feira (8). Aos senadores, Queiroga falou sobre a decisão de não nomear a infectologista Luana Pinheiro para cargo na pasta, defendeu o trabalho da médica Mayra Pinheiro no Ministério da Saúde e também afirmou que a Copa América pode ser realizada no Brasil com segurança sanitária. 

Aos senadores, o ministro também citou "questionamentos" sobre a efetividade da vacina contra a Covid-19 Coronavac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan e que responde pela maior parte dos imunizantes contra a doença já aplicados no Brasil. Para Queiroga, "investir da Butanvac seria a melhor opção", em referência à vacina que está em desenvolvimento também no Butantan. 

Questionado sobre a existência de um suposto "gabinete paralelo" no governo federal, o ministro disse que não sabe da existência de aconselhamento não-oficial em sua gestão.

Outros depoentes da CPI, como o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, afirmaram que o presidente Jair Bolsonaro se aconselhou com pessoas de fora do governo na definição de estratégias de combate à pandemia da Covid-19, como, por exemplo, no incentivo do chamado "tratamento precoce" contra a doença, com utilização de medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento e prevenção da doença causada pelo novo coronavírus. 

A seguir, veja algumas das principais declarações feitas por Marcelo Queiroga aos integrantes da CPI da Pandemia: