PSDB aprova modelo de prévias, mas reunião reedita divisão entre SP e MG

Diretórios de São Paulo e Minas Gerais divergem a respeito do peso de filiados e mandatários na escolha do candidato

Iuri Pitta
Por Iuri Pitta, CNN  
08 de junho de 2021 às 17:43
Pré-candidatos às prévias do PSDB nas eleições de 2022
João Doria, Eduardo Leite, Tasso Jereissati e Arthur Virgílio
Foto: CNN Brasil

A Executiva Nacional do PSDB aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (8), a proposta da Comissão das Prévias para definir o candidato do partido à Presidência nas eleições de 2022.

No entanto, o modelo ainda pode sofrer ajustes em relação ao peso dos grupos de votantes - divergências nesse sentido vieram à tona na reunião, reeditando disputas internas já ocorridas em outros episódios nas quais se opuseram os diretórios de São Paulo e Minas Gerais.

Pela proposta da Comissão das Prévias, a escolha do candidato seria decidida pelos votos de quatro grupos, cada um com igual peso de 25%: 1) filiados; 2) prefeitos e vice-prefeitos; 3) vereadores, deputados estaduais e distritais; e 4) governadores, vice-governadores, ex-presidentes e o atual presidente do partido, além de deputados federais e senadores.

O grupo paulista, que defende a indicação do governador João Doria à disputa pelo Palácio do Planalto, propôs uma nova divisão, em que o grupo dos filiados teria peso de 50% e o de mandatários em geral, outros 50%. Já os mineiros sugerem a manutenção dos quatro grupos de 25%, mas inserindo as executivas estaduais no grupo de prefeitos e vice-prefeitos.

Ex-presidente do partido, o deputado Aécio Neves tem assento na Executiva e participou da discussão.

Além de Doria, três tucanos deram declarações de que pretendem disputar as prévias: o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o senador cearense Tasso Jereissati e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgilio.

Na reunião, foi votado o adiamento dos destaques, e não a submissão a voto. Os paulistas interpretaram como um sinal de que a resistência a esse modelo não conta com a maioria e seria possível aprová-lo na próxima reunião. Por sua vez, houve alinhamento entre Tasso e Virgilio, que têm assento na Executiva, e o representante de Leite, o deputado gaúcho Lucas Redecker.

O presidente do partido, Bruno Araújo, chegou a propor aumentar o peso do grupo dos filiados de 25% para 35% do colégio das prévias, em busca de um meio-termo, mas a ideia não chegou a ser colocada em votação.

Agora, o modelo das prévias será submetido aos quatro pré-candidatos, para que eles também possam fazer sugestões de ajustes. Se houver consenso entre eles, a Executiva deve seguir esse acordo. Caso contrário, os integrantes da cúpula do PSDB colocam as propostas em votação, incluindo os destaques de São Paulo e Minas Gerais. A decisão final será tomada daqui a duas semanas, no dia 15.

A Comissão das Prévias é coordenada pelo ex-senador e ex-presidente do PSDB José Aníbal e composta pela prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro; pelo presidente do diretório paulista e secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi; pelo senador Izalci Lucas (DF); pelos deputados Pedro Vilela (AL) e Lucas Redecker (RS); e pelo ex-deputado Marcus Pestana (MG). O calendário prevê inscrições até 20 de setembro e debates em outubro, com votação em 21 de novembro. Se necessário, as prévias podem ter segundo turno uma semana depois, em 28 de novembro.