Defesa de Carlos Wizard recorre novamente ao STF contra quebra de sigilos

Empresário já havia acionado a Corte contra condução coercitiva e decisão tomada pela CPI da Pandemia de reter seu passaporte

Gabrielle Varela, da CNN, em Brasília, e Rafaela Lara, em São Paulo
18 de junho de 2021 às 13:08 | Atualizado 18 de junho de 2021 às 15:45

A defesa do empresário Carlos Wizard entrou com novo mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (18) contra a quebra de sigilos aprovados pela CPI da Pandemia.

Para a defesa do empresário, a medida é um "ato abusivo e ilegal, violador de direito líquido e ilegal quebra indiscriminada dos sigilos telefônico, fiscal, bancário e telemático".

Os advogados de Wizard já haviam acionado o Supremo contra a condução coercitiva e a decisão tomada pela CPI da Pandemia de reter seu passaporte

A quebra dos sigilos telefônico, fiscal, bancário e telemático do empresário foi decidida nesta quarta-feira (16).

Wizard é apontado como um dos integrantes de um suposto "gabinete paralelo", que teria assessorado o presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia.

Carlos Wizard
Foto: Miguel Schincariol/AFP via Getty Images