Ministério pediu 50 milhões de doses da Covaxin dez dias após contrato

Após contato no dia 6 de março, o ministério pressiona novamente a Precisa Medicamentos por mais vacinas no dia 15 de março

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
22 de junho de 2021 às 20:51 | Atualizado 22 de junho de 2021 às 21:39

Menos de dez dias depois de fechar um contrato de R$ 1,6 bilhão para a compra de 20 milhões de doses da vacina indiana, o Ministério da Saúde encaminhou a Precisa Medicamentos um ofício à empresa no qual informa que queria negociar mais 50 milhões de doses.

Isso ocorreu no dia 6 de março, quando foi encaminhado a Precisa o Ofício nº 561 do Ministério da Saúde com o tema “Aquisição de 50 milhões de doses de vacina contra a COVID-19 adicionalmente aos Contratos celebrados entre a União e a empresa Bharat Biotech Limited International, representada pela empresa Precisa Comercialização de Medicamentos Ltda”.

 

No dia 15 de março, o ministério pressiona novamente por mais vacinas. Um novo ofício do ministério é encaminhado à Precisa "solicitando a antecipação do máximo possível de doses ao Brasil".

A informação consta na Nota Informativa Nº 24 do Ministério da Saúde encaminhada à CPI da Pandemia em atendimento a um pedido do senador Randolfe Rodrigues de que fossem remetidas "cópia de documentos referentes a negociações e aquisição de vacinas, como: Termos de referências; Editais; Atas de reuniões; Contratos; Notas fiscais; e Ordens bancárias emidas".

A CNN procurou a Precisa e o Ministério da Saúde, mas eles não se manifestaram.

Vacina Covaxin na Índia
Foto: Indranil Aditya/NurPhoto via Getty Images