Onyx convoca Pazuello, e general vira eixo central de defesa do governo

Reunião contou com ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, e quatro senadores governistas da CPI da Pandemia

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
24 de junho de 2021 às 19:33 | Atualizado 24 de junho de 2021 às 20:10

 

O ex-ministro Eduardo Pazuello participou na manhã desta quinta-feira (24) da reunião para redefinir a estratégia de defesa do governo para as acusações de irregularidades na aquisição da vacina Covaxin, a informação foi confirmada pelo senador Jorginho Mello (PL- SC) que esteve no encontro.

A reunião foi conduzida pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, e quatro senadores governistas da CPI da Pandemia.

 

Pazuello foi convocado porque a estratégia do governo o envolve diretamente. A linha adotada é a de que o presidente Jair Bolsonaro, ao saber das denúncias feitas pelo deputado federal Luis Miranda, pediu a Pazuello que apurasse. Ele ocupa um cargo no Palácio do Planalto de secretário da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.

Na reunião de hoje, Pazuello disse não ter instaurado nenhum procedimento formal para apurar as denúncias, mas que fez uma apuração informal, conversou com os envolvidos e concluiu não ter havido irregularidades.

Interlocutores de Pazuello disseram à CNN que na época  houve um problema de ordem pessoal entre o tenente-coronel Alex Lial Marinho, à época coordenador-geral de Logística de Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, e o servidor Luis Ricardo Miranda.

 

Lial teria pedido a Pazuello a demissão do servidor, mas o deputado Luis Miranda pediu que ele fosse mantido no cargo e Pazuello acabou acatando o pedido. Uma fonte do Ministério da Saúde disse à CNN que na época Lial reclamava que o servidor era incompetente. Pazuello teria dito que o ministério tinha gente incompetente mas que seria melhor administrar do que demitir e depois ter de receber de volta.

Procurado, o deputado Luis Miranda disse que não tem conhecimento deste suposto problema pessoal.

Eduardo Pazuello presta depoimento no segundo dia de oitivas com ele na CPI da Pandemia
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado