Aliados de Lira veem eleição de 2022 em risco com veto a Fundo Eleitoral

Presidente da Câmara entende que barrar valor pode criar entrave a financiamento de campanhas eleitorais

Da CNN, em São Paulo
20 de julho de 2021 às 16:56

Pessoas próximas ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), têm observado com bastante cautela os últimos movimentos a respeito do Fundo Eleitoral. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

Questionado sobre um possível veto ao valor de R$ 5,7 bilhões pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), aprovado dentro do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) na Câmara, Lira disse que é uma prerrogativa constitucional do presidente vetar ou não o valor, assim como a Constituição também prevê que o parlamento mantenha o veto ou não.

No entanto, o Lira afirmou que se Bolsonaro vetar o fundo eleitoral, haverá risco grande de problemas no financiamento das eleições de 2022. 

Bolsonaro culpou o deputado federal e vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), pela elevação do valor do Fundo Eleitoral. Para reduzir os gastos de campanhas, Ramos articula um "acordão".

Lira também sinalizou que a proposta do vice é "impossível", já que o Orçamento é feito em duas etapas: na votação da LDO e, no final do ano, na da Lei Orçamentária Anual (LOA).

O presidente da Câmara, Arthur Lira (19.fev.2021)
Foto: Reprodução/CNN

Publicado por Evandro Furoni