“A pesquisa está aquém do nosso potencial”, diz André Janones

Pré-candidato à Presidência da República, o deputado teve 1% das intenções de votos na última pesquisa Ipespe

Deputado federal André Janones, do Avante
Deputado federal André Janones, do Avante Najara Araujo/Câmara dos Deputados/2.set/2021

Jaqueline Frizonda CNN

No Rio

Ouvir notícia

Deputado federal mineiro e pré-candidato a presidente da República pelo Avante, André Janones conversou com a CNN sobre a corrida presidencial durante um encontro estadual do partido no Rio de Janeiro, neste sábado (26). O governador do Rio, Cláudio Castro, também esteve presente.

“Eu estou otimista, mas confesso que [o resultado das pesquisas] está muito aquém do nosso potencial. Não do André Janones, mas da nossa candidatura como um todo e a prova disso é quando você aprofunda a pesquisa, você percebe que apenas 14% dos brasileiros disseram que conhecem bem ou que conhecem o deputado federal André Janones. Outros 86% ou não conhecem ou só ouviram falar. Com aproximação do período eleitoral no dia das eleições você chega a 100% de conhecimento. A nossa candidatura é competitiva e eu não tenho nenhuma dúvida de que estaremos no segundo turno das eleições”, avaliou Janones.

Fenômeno nas redes sociais, Janones tem mais de 8 milhões de seguidores no Facebook, 2 milhões no Instagram e 1,4 milhões de inscritos em seu canal no YouTube. Ele falou como usar essas ferramentas a seu favor.

“Primeiro através de uma candidatura que não espalhe fake news. Eu apesar de ser uma pessoa que nasci nas redes sociais, jamais divulguei fake news. Eu sempre primo pelo zelo, pela responsabilidade antes de dar a informação”, disse.

André Janones foi eleito deputado federal pela primeira vez em 2018 com 178,6 mil votos. Na última pesquisa Ipespe aparece com 1% da intenção de votos.

Entre as estratégias de campanha, ele vem questionando a “mistura” e o uso da religião pelos candidatos.

“Está havendo uma mistura talvez para tentar esconder a incompetência daqueles que hoje dominam o debate público no nosso país. Então você ataca a classe artística, ataca a imprensa ou você se esconde através de uma religião porque a religião fala por você. É necessário que a gente tenha um líder político que possa separar sua vida pessoal da sua vida pública, da sua vida política. Um verdadeiro chefe de estado.”

Perguntado sobre a denúncia de um ex-assessor sobre suposta prática do esquema de rachadinha em seu gabinete na Câmara, Janones negou.

“Já peticionei abrindo mão do meu sigilo bancário, fiscal e telefônico. Não existe nenhuma materialidade. Foram duas pessoas que eu demiti do meu gabinete que criaram essa situação. Sou um homem honesto, íntegro que jamais pratiquei ato ilícito no meu mandato e não o farei também na cadeira de presidente da República”.

Veja quem são os pré-candidatos à Presidência da República em 2022

Mais Recentes da CNN