Advogada diz à CPI da Pandemia que Prevent Senior promoveu novas demissões

Em áudio, a advogada Bruna Morato informou que a operadora de saúde afastou nesta quarta-feira (22) quatro médicos, entre eles um dos que teria colaborado com dossiê.

Hospital da rede Prevent Senior em São Paulo (SP) 17/03/2020
Hospital da rede Prevent Senior em São Paulo (SP) 17/03/2020 Foto: REUTERS/Rahel Patra

Gustavo UribeTainá Farfanda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

Em áudio enviado à CPI da Pandemia, a advogada Bruna Morato informou que a Prevent Senior demitiu nesta quarta-feira (22) quatro médicos, entre eles um dos clientes da profissional, que contribuiu com a elaboração de dossiê contra a operadora de saúde.

A CNN teve acesso à mensagem. No conteúdo, a advogada também se oferece para prestar depoimento à comissão de inquérito, inquirição que deve ser realizada na próxima semana.

As demissões teriam ocorrido no mesmo dia do depoimento à CPI da Pandemia do diretor da empresa Pedro Batista, que negou os indícios de irregularidades apontados no dossiê.

Procurada pela CNN, a Prevent Senior informou que a operadora de saúde “tem 12 mil funcionários e 3 mil médicos” e que “desligamentos e contratações são diários”.

“Politizar o departamento pessoal da empresa reflete o desespero de quem faz denúncias que serão desmascaradas”, ressaltou.

No áudio, a advogada afirmou que está disponível para prestar depoimento “caso nenhum médico queira ir” e que o que aconteceu na CPI da Pandemia “foi muito bom”.

“Ele [Pedro Batista] disse que a instituição deu toda autonomia e que, se aconteceram mortes, a culpa é dos médicos. E saíram de lá demitindo médicos, demitindo diretor”, afirmou.

O presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou à CNN que deve aprovar na sessão desta quinta-feira (23) o requerimento para ouvir a advogada na próxima semana.

O dossiê apresentado por 12 médicos e ex-médicos da Prevent Senior à CPI da Pandemia, ao qual a CNN teve acesso, afirma que as declarações de óbito do médico Anthony Wong e da mãe do empresário Luciano Hang foram fraudadas.

Wong era defensor do tratamento precoce. Segundo o dossiê, ele faleceu em um hospital da rede da Prevent por complicações da Covid-19. Na oitiva da quarta-feira (22), o diretor da Prevent Senior, Pedro Batista, confirmou que atendeu Anthony Wong: “Ele me ligou pessoalmente procurando atendimento, disse que ele não estava bem”.

Porém, Batista se negou a revelar a causa da morte. “Tenho proibição expressa da família para não comentar dados sobre pacientes”, afirmou.

Outro caso questionado na sessão é sobre a mãe do empresário Luciano Hang, próximo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em vídeo apresentado na CPI, Hang diz que se arrepende de não ter levado sua mãe para fazer o chamado “tratamento precoce”.

Pedro Batista confirmou, na oitiva da CPI da Pandemia, que Regina Hang foi internada em hospital da Prevent Senior, mas não quis detalhar o atendimento.

Mais Recentes da CNN