Agosto exigirá presença ativa de Bolsonaro nos debates, diz cientista político

Murillo de Aragão adianta que agendas cheias no legislativo e judiciário irá obrigar atuação incisiva do presidente nas articulações

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Agosto será um mês cheio nos três poderes da República, segundo o cientista político Murillo de Aragão. Ele relembra que tanto legislativo quanto judiciário têm, neste mês, pautas importantes em voga, o que irá exigir atuação decisiva do executivo, em especial do presidente.

“Agosto será de debates intensos que vão exigir presença ativa do presidente. Ele terá pela frente uma agenda cheia e complicada,” diz Murillo.

“As pautas do legislativo começam com o debate da reforma tributária, passam pelo início das discussões sobre o orçamento e, entre estas duas grandes pautas, temos vários itens em discussão: nova lei do gás, ajuda aos transportes públicos, discussão sobre a autonomia do Banco Central, a nova lei de falências e o Fundeb, que está tramitando.”

Já no legislativo, Aragão adianta que por conta da “judicialização em alta”, teremos grandes discussões na queda de braço entre a Procuradoria-Geral da União e a força tarefa da Operação Lava Jato de Curitiba.

Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e Tereza Cristina
Da esquerda para a direita, o presidente Jair Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão e a ministra da Agricultura Tereza Cristina
Foto: Adriano Machado/Reuters (17.jun.2020)

 

 

Mais Recentes da CNN