Alcolumbre indica a aliados que sabatina será na última semana de novembro

Alcolumbre teria tomado a decisão por acreditar ter votos suficientes para a derrota de Mendonça no plenário do Senado

Thais Arbex

Ouvir notícia

Depois de ameaçar segurar a sabatina de André Mendonça até 2023, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Davi Alcolumbre (DEM-AP), indicou a aliados que a análise do nome do ex-chefe da AGU (Advocacia-Geral da União) será na última semana de novembro.

De acordo com relatos feitos à CNN, Alcolumbre tomou a decisão por acreditar ter votos suficientes para a derrota de Mendonça no plenário do Senado. O ex-ministro precisa do apoio de 41 dos 81 senadores para garantir a cadeira no Supremo. Hoje, segundo as projeções feitas pelo presidente da CCJ a aliados, Mendonça não teria o número mínimo necessário.

Mendonça foi indicado ao STF (Supremo Tribunal Federal) há mais de três meses pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga aberta com a aposentadoria de Marco Aurélio Mello.

Nos bastidores, no entanto, a indicação de Alcolumbre sobre a data da sabatina é tratada com ressalvas tanto por aliados do senador quanto por pessoas próximas a Mendonça. A avaliação geral é a de que em um mês o cenário pode mudar mais uma vez.

Do lado de Mendonça, a ordem é não criar expectativas a partir de especulações sobre a possível análise de seu nome na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e só considerar fato consumado quando Alcolumbre anunciar oficialmente a data.

Aliados do senador também entendem que as circunstâncias políticas podem mudar e, eventualmente, forçar o presidente da CCJ a rever a decisão de agendar a sabatina.

Mais Recentes da CNN