Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alexandre de Moraes determina prisão de Anderson Torres

    Ex-comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal, Fábio Augusto Vieira, foi detido

    Da CNN

    A Polícia Federal (PF) cumpre mandado de prisão contra Anderson Torres, ex-secretário de Segurança do Distrito Federal (DF), nesta terça-feira (10). A determinação foi feita pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

    Também é realizada busca e apreensão na casa do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública de Jair Bolsonaro (PL). Torres está em viagem no exterior.

    Ele foi exonerado do cargo de secretário durante o Ataque aos Três Poderes, em Brasília, no domingo (8). Os atos criminosos também provocaram o afastamento de Ibaneis Rocha, governador do DF, por 90 dias, após determinação de Moraes.

    Também no domingo, a Advocacia-Geral da União (AGU) pediu ao STF a prisão do ex-secretário, conforme revelou o analista de Política da CNN Caio Junqueira.

    Na segunda-feira (9), pelo Twitter, o ex-secretário publicou um pronunciamento dizendo que foi “surpreendido pelas lamentáveis cenas” em Brasília durante seu “segundo dia de férias”.

    “Lamento profundamente que sejam levantadas hipóteses absurdas de qualquer tipo de conivência minha com as barbáries que assistimos. Estou certo de que esse execrável episódio será totalmente esclarecido, e seus responsáveis exemplarmente punidos”, escreve o comunicado.

    Após as acusações, o Ministério Público, junto ao Tribunal de Contas da União, pediu o bloqueio de bens do ex-presidente Bolsonaro, de Ibaneis Rocha e de Anderson Torres, segundo a âncora da CNN Daniela Lima.

    Ex-comandante da PM é preso

    A analista de Política da CNN Larissa Rodrigues confirmou a prisão de Fábio Augusto Vieira, ex-comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal.

    A determinação também aconteceu pelo ministro Alexandre de Moraes. Vieira era o responsável pela PM no dia do Ataque aos Três Poderes.

    Agora, quem comanda a segurança no DF até, ao menos, o fim de janeiro, é o interventor federal Ricardo Cappelli.

    “Sabotagem” e intervenção federal

    Após os ataques ao Congresso, STF e Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decretou intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal.

    Em entrevista à CNN nesta terça, o interventor Ricardo Cappelli acusou o ex-secretário de sabotar a segurança da capital federal nos atos criminosos. Ele teria alterado todo o comando da secretaria e viajado para fora do Brasil.

    “Houve uma operação estruturada de sabotagem comandada pelo ex-ministro bolsonarista Anderson Torres. Ele montou a sabotagem e fugiu do Brasil”, disse Cappelli.

    O decreto de intervenção foi aprovado pelo Senado e pela Câmara em sessões simbólicas. O objetivo dos parlamentares era dar uma resposta rápida aos atos criminosos e mostrar união dos Poderes.

    *em atualização

    *publicado por Tiago Tortella, da CNN