Amazonas: veja quem são os pré-candidatos ao governo do estado e ao Senado

Governador Wilson Lima (União Brasil) tentará a reeleição, apesar de investigações por causa de crise sanitária

Palácio do Governo do Amazonas, em Manaus
Palácio do Governo do Amazonas, em Manaus Secom/Governo do Amazonas

Dyepeson Martinscolaboração para a CNN

Ouvir notícia

Na corrida eleitoral para o governo do Amazonas, alguns nomes se apresentam como pré-candidatos. Os candidatos ainda podem mudar, pois os partidos têm entre 20 de julho e 5 de agosto para realizar suas convenções e definir os candidatos e candidatas.

O primeiro turno das eleições está marcado para 2 de outubro. A votação de um eventual segundo turno ocorrerá em 30 de outubro, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os pré-candidatos ao governo estadual

O atual governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil) tentará a reeleição sob críticas em relação às crises na saúde e na segurança pública. Jornalista, ficou conhecido por apresentar um programa de TV local. Estreou na política nas eleições de 2018, quando foi eleito com 58,50% dos votos no segundo turno do pleito.

Desde setembro de 2021 é réu no STJ (Superior Tribunal de Justiça) por suspeitas de irregularidades na compra de respiradores superfaturados, o que ele nega. Em 2021, a CPI da Covid no Senado pediu sua responsabilização sob suspeita de crime de epidemia com resultado de morte, prevaricação e crimes de responsabilidade.

O empresário e advogado Amazonino Mendes (Cidadania) foi senador, exerceu três mandatos de prefeito de Manaus e, por quatro vezes, foi eleito governador do Amazonas, cargo que ele pretende ocupar mais uma vez a partir de 2023. Em 2020, ele foi derrotado no segundo turno na disputa pela Prefeitura de Manaus, obtendo 48,73% dos votos.

Líder do MDB no Senado, onde exerce o segundo mandato, Eduardo Braga também é outro ex-governador que pode aparecer nas urnas. Formado em engenharia, já foi deputado federal e ministro de Minas e Energia no governo de Dilma Rousseff. Em 2014, foi derrotado no segundo turno das eleições ao governo do estado. Não teve êxito ainda na disputa suplementar ocorrida em 2017 para um mandato tampão, após a cassação de José Melo por compra de votos.

Outra adversária pode ser Carol Braz, lançada pelo PDT, defensora pública e ex-secretária de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania da atual gestão. Ela intensificou a atuação política nos últimos dois anos e se filiou recentemente ao PDT. Antes, pertencia ao PSC, legenda da qual foi presidente municipal em Manaus. Esta pode ser sua primeira eleição.

Pelo PSOL, os nomes de Jevaldo Silva e Marcelo Amil são apresentados como os possíveis pré-candidatos ao governo do Amazonas. Silva é mestre em geografia e especialista em educação ambiental. Professor da rede pública municipal e estadual de ensino, tem forte atuação com movimentos sociais.

Amil é advogado e foi candidato pelo PCdoB à prefeitura de Manaus, em 2020, antes de trocar de partido. Também é defensor geral do Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas e presidente da Comissão de Esportes da OAB-AM.

A disputa deve contar ainda com Ricardo Nicolau (Solidariedade), deputado estadual que deixou o PSD em outubro de 2021 para se filiar ao Solidariedade. Ele é diretor da rede hospitalar Grupo Samel e disputou o cargo de prefeito de Manaus em 2020, ficando na quarta colocação, com 12,29% dos votos.

A corrida ao governo ainda tem Henrique Oliveira (Podemos), economista e engenheiro que foi vice-governador do Amazonas, deputado federal e vereador de Manaus.

Outro nome que pode concorrer é João Pedro (PT), ex-deputado estadual e que exerceu o cargo de senador como suplente de Alfredo Nascimento (PL).

Os pré-candidatos ao Senado

O senador Omar Aziz (PSD) tentará a reeleição ao segundo mandato. Ele ganhou notoriedade nacional ao atuar como presidente da CPI da Covid, em 2021. Formado em engenharia civil, foi governador do Amazonas entre 2010 e 2014, quando se elegeu para o Senado.

Alguns de seus eventuais adversários são bem conhecidos da população, como Arthur Virgílio Neto (PSDB), diplomata, sociólogo e presidente do PSDB do Amazonas, com longa carreira política.

Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), Arthur Virgílio Neto foi ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República. Também ocupou os cargos de senador, deputado federal e prefeito de Manaus por três mandatos.

Entre os concorrentes estão Marco Antônio de Souza Ribeiro da Costa, conhecido politicamente como Chico Preto (Avante). Ex-deputado estadual, defende pautas bolsonaristas. Também foi vereador de Manaus e já esteve à frente da Secretaria Municipal de Obras.

Outro pré-candidato ao Senado assumidamente bolsonarista é Coronel Menezes (PL), como é conhecido o coronel da reserva do Exército Alfredo Alexandre de Menezes. Em 2020, ficou na quinta colocação na eleição para a prefeitura de Manaus, com 11,51% dos votos.

O PDT lançou o nome de Luiz Castro para concorrer ao Senado. É ex-deputado estadual e ficou em terceiro lugar na eleição ao Senado, em 2018. Em 2021, sua pré-candidatura havia sido cogitada pela Rede Sustentabilidade, seu antigo partido.

Confira abaixo os senadores cujos mandatos terminam em 2023. As vagas deles estarão em jogo nas eleições deste ano

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto pela TV e por nossas plataformas digitais.

*Com informações de Gabriela Ghiraldelli, Salma Freua Leonardo Rodrigues, da CNN

Mais Recentes da CNN